Bolsas chinesas perto do máximo do ano e Japão anula Brexit

(Bloomberg)

As bolsas asiáticas tiveram mais uma sessão de valorização. Na China, os índices estão ao nível mais alto desde Abril, mês em que fixaram o máximo deste ano. No Japão, as bolsas anularam as quedas do Brexit.
A bolsa japonesa anulou as quedas registadas depois do referendo de 23 de Junho deste ano no Reino Unido que ditou uma vitória do Brexit. Três dias seguidos com valorizações colocaram o Nikkei nos 16.231,43 pontos, tendo esta quarta-feira subido mais 0,84%, e o Topix nos 1.300,26 pontos, ao subir nesta sessão 1,1%, o que significa que este índice teve a maior subida em três dias desde 28 de Agosto do ano passado.

A valorização coloca também o Japão junto com as outras bolsas ao anular as perdas registadas depois do referendo britânico. Isto depois do primeiro-ministro nipónico, Shinzo Abe, ter dado orientações para se avançar com um novo pacote de estímulo orçamental, depois da vitória nas eleições de domingo para a Câmara Alta, nas quais o partido no poder aumentou a sua representação.

Os preparativos para estímulos orçamentais estão a ser preparados. O Banco do Japão, por seu lado, vai reunir nos próximos dias 28 e 29 de Julho. Um conselhereiro económico do primeiro-ministro, Koichi Hamada, em declarações à Bloomberg, já comentou que juntar estímulos orçamentais e monetários ao mesmo tempo poderá ser uma boa estratégia, descartando, no entanto, a opção pelo designado “helicóptero financeiro”, no qual o Banco do Japão financiaria directamente investimentos do Governo. Essa opção, declarou, “seria um jogo de risco elevado”. O jornal japonês, Sankei, noticiou que poderia estar a ser equacionado o “helicóptero” de dinheiro como opção política. O que também já foi desmentido pelo secretário Yoshihide Suga. O que resultou na valorização do iene que acabou a ganhar face a 16 moedas. Em dois dias a moeda nipónica tinha caído 4%, mas esta quarta-feira subiu 0,4%. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA