Benguela: OMA trabalha na promoção de valores de tolerância política

Organização de Mulheres Angolana (OMA) (Foto: Angop)

A Organização da Mulher Angolana (OMA) já trabalha com a massa militante, simpatizantes e amigas do MPLA sobre a necessidade da promoção de mais valores de tolerância política, nesta circunscrição, visando a coexistência pacífica entre os angolanos, afirmou a secretária provincial adjunta da Organização, Maria Amélia Dumbo.

A política que falava hoje, quinta-feira, à Angop, a respeito do pronunciamento do Presidente do MPLA, na quarta reunião extraordinária do Comité Central sobre os incidentes mortais, ocorridos recentemente entre militantes da UNITA e do MPLA no município do Cubal, afirmou que, tal posição revela a sua preocupação pelo sucedido, como também demonstra a necessidade de se combater todas as formas análogas de intolerância política.

Segundo a responsável, em conformidade com a orientação do Presidente do MPLA, o Secretariado Provincial da OMA já manteve encontros de aconselhamento com as estruturas de base dos bairros periféricos das zonas A e B, no sentido de maior convivência pacífica entre si, visando a tolerância política, no quadro do respeito pelo direito de outrem que manifestar opinião contrária a sua.

Em parceria com entidades religiosas e outros parceiros sedeados na província, a Organização da Mulher Angolana vai continuar a realizar encontros e palestras a fim de mobilizar toda a sociedade como forma de prevenção e, evitar atitudes conflituosas que possam causar a instabilidade das famílias angolanas e também perigar os longos anos de luta para a conquista da Paz e Reconciliação Nacional.

Para tal, adiantou ser necessário o empenho de toda a sociedade, onde o multipartidarismo constitui um dos princípios fundamentais da democracia e a tolerância política, uma das maiores virtudes da humanidade.

Os incidentes envolveram militantes da oposição e do MPLA no município do Cubal, 150 quilómetros da cidade de Benguela, tendo o presidente do partido governante advertido que tudo deve ser feito para se evitar que situações semelhantes voltem acontecer. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA