Benguela: Bocoio terá armazém de ração para abastecer aviários

Bernarda Martins - Ministra da Indústria (Foto: Alberto Julião)

A primeira pedra para a construção de um armazém de ração, matadouro e embalagem de carne foi lançada nesta quinta-feira no município do Bocoio, província de Benguela, pela ministra da Indústria, Bernarda Martins.

A pedra foi lançada num espaço de mil metros quadrado, cujo projecto é avaliado em dois milhões de kwanzas e vai oferecer produtos para as cidades de Benguela, Lobito e Luanda.

Em declarações à imprensa, após o acto, a ministra reafirmou que esta acção enquadra-se nos projectos de criação de parques industriais, cuja aprovação do Executivo consiste no âmbito do programa de combate à fome e à pobreza, que engloba programa de fomento das indústrias rurais.

“Através de pequenas proporções de produção, nós pretendemos criar pequenos parques industriais para apoiar os municípios para o surgimento de instalações moageira com os seus componentes para produzir fuba com alguma capacidade de produção dia e uma fábrica de rações”,disse.

A responsável admitiu ter assistido alguns esforços por parte das populações no que concerne a produção de fuba de milho de forma rudimentar e reconheceu que no município do Bocoio tem uma produção de milho suficiente para ser transformada nas futuras indústrias.

Fez saber que, existe ainda outras actividades que não são propriamente a transformação, mas que venha apoiar as actividades diárias das populações, tendo manifestado a intenção de aumentar as indústrias panificadoras nos municípios, onde a produção de pão não é suficiente para as populações, uma vez que existe apenas uma panificadora na região que conta com mais de 150 mil habitantes.

Sobre as pequenas oficinas nos pequenos parque industriais, Bernarda Martins, referiu que há muitas motorizadas no município que fazem o negócio de moto-táxi e manifestou o apoio a estes comerciantes na reparação e manutenção dos seus meios, que pode gerar também posto de emprego.

Durante a sua visita, a ministra inteirou-se também da construção de uma infra-estrutura para transformação de frutas em sumo, conservação, frutas em caldas com as obras em 60 porcento de conclusão, orçado no cofre do Estado em 217 milhões de kwanzas.

Por seu turno, a administradora municipal do Bocoio, Deolinda Valingula, adiantou que o empreendimento localizado na povoação do Alenço, num perímetro de 10 hectares, comportará um laboratório de testagem da qualidade de frutas, uma quadra polidesportiva, residências para técnicos e refeitório.

Sobre a matéria-prima para o fabrico de sumo, indicou a comuna do Monte Belo como o principal fornecedor tão logo a fábrica estiver a funcionar numa previsão do mês de Agosto e adiantou que será gerido por sectores privados.

Acompanhou a ministra da Indústria, o vice-governador de Benguela para o sector Económico, Gika Morais. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA