Autoridades policiais da Ingombota realizam encontros com agentes hoteleiros

Vista parcial do distrito da Ingombota (Ilustração) (Foto: Pedro Parente)

As autoridades policiais no distrito urbano da Ingombota, em Luanda, iniciaram segunda-feira encontros com agentes hoteleiros e similares, no bairro da Ilha do Cabo, visando a recolha de informações sobre a situação delituosa na circunscrição.

O chefe da área de moral e cívica da divisão da divisão da Ingombota, susb-inspector Quintino Ferreira, disse hoje à Angop que a acção se enquadra no policiamento de proximidade e visa, igualmente, a transmissão de orientações sobre os aspectos de prevenção e seguranças física de proprietários, de infra-estruturas hoteleiras e frequentadores da circunscrição.

“Apesar da situação na Ilha do Cabo não ser caracterizada como preocupante, ainda assistimos os roubos de pertences e acessórios de viaturas, e com este levantamento estaremos em condições de identificar os principais focos de acções delituosas, e tomarmos medidas para a detenção dos suspeitos, bem como traçar outras formas de prevenção”, sublinhou.

Fez saber que a tipologia das acções delituosas varia consoante a estação do ano, e na Ilha de Luanda nesta altura são frequentes os roubos de acessórios e no interior de viaturas, enquanto época balnear registam-se com frequência os furtos por esticão e desordem na via pública.

As autoridades policiais na Ingombota realizam desde o último mês de Abril, na circunscrição, um inquérito porta-a-porta para saber, junto dos moradores, os aspectos de segurança pública que os aflige no âmbito do seu programa de policiamento de proximidade.

Esta acção transmite o sentimento de segurança pública, incentiva a população a colaborar na denúncia das práticas de actos criminosos que ocorrem nas residências e na via pública, para diminuir os casos de violências e distúrbios.

Este modelo diminui a distância entre a polícia e o cidadão e, com certeza, haverá maior envolvência da sociedade no combate à criminalidade e aumentar os níveis de confiança recíproca entre ambas as partes., disse o oficial. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA