Angola e Congo rubricam acordo de cooperação policial

Assinatura de acordo de cooperação no domínio policial entre Angola e o Congo (Foto: Cortesia de Domingos Cambiete)

As Repúblicas de Angola e do Congo assinaram um acordo de cooperação policial nos domínios da formação de quadros, reforço da segurança ao longo da fronteira e incremento da troca de informações policiais.

O comissário-geral Ambrósio de Lemos, por Angola, e o general de Polícia de 2ª classe, Jean François Ndengue, pelo Congo, ambos comandantes-gerais das respectivas corporações, rubricaram o protocolo na noite de domingo, no final das conversações oficiais, o qual estabelece a instituição de patrulhas mistas para o reforço da luta contra o crime transfronteiriço e imigração ilegal.

As partes decidiram igualmente incrementar a troca de informações policiais, com vista ao combate da falsificação de documentos de viagem.

No domínio da formação vai dar-se início, em Setembro deste ano, ao processo de formação de formadores de efectivos da polícia congolesa, em Angola, nas especialidades de intervenção rápida, protecção de individualidades protocolares e protecção de fronteiras.

Está igualmente prevista a realização do curso para oficiais da polícia do Congo na especialidade de mando e liderança e cavalaria, manutenção e reposição de ordem pública.

De igual modo, estarão também disponíveis para a polícia congolesa, no decurso deste ano, 20 vagas para o ingresso no Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais, na capital do país, Luanda.

No que tange ao ensino das línguas portuguesa e francesa, acordou-se que as estruturas encarregues da formação das duas polícias aprofundassem a questão para uma decisão consensual.

As partes comprometeram-se em manter o dinamismo desta cooperação policial com o respaldo dos seus ministros de tutela e sob a mais alta autoridade dos presidentes José Eduardo dos Santos e Denis Sassou Nguesso.

O comandante-geral da polícia angolana, Ambrósio de Lemos, considerou bastante significativo o acto, por quanto as duas polícias, os dois estados e respectivos povos necessitam da segurança mútua.

“Da nossa parte, estaremos sempre abertos para esta cooperação bilateral, da formação de efectivos e não só, e contamos também com a vossa reciprocidade”, expressou.

Já o director-geral da polícia do Congo, Jean François Ndengue, notou que os acordos firmados confirmam o bom ambiente de trabalho entre as instituições policiais dos dois países.

Regozijou-se com a perícia e o apoio significativo dos oficiais da polícia angolana na preparação e asseguramento com êxito dos 11º Jogos Africanos de Setembro 2015, em Brazzaville.

Formulou um convite ao seu homólogo angolano para também visitar o seu país em data a acordar. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA