Abertura dos mercados: Investidores animados levam bolsas europeias a abrir em alta

(Reuters)

As bolsas europeias arrancaram a sessão em alta, em linha com o que tinha acontecido já na Ásia, impulsionadas pela perspectiva da introdução de mais estímulos no Japão. Petróleo e euro em queda.

Os mercados em números

PSI-20 sobe 1,42% para 4.519,23 pontos

Stoxx 600 avança 0,91% para 330,32 pontos

Nikkei valorizou 3,98% para 15.708,82 pontos

“Yields” da dívida de Portugal a dez anos soma 0,4 pontos base para 3,083%

Euro desce 0,24% para 1,1024 dólares

Petróleo recua 0,73% para 46,42 dólares por barril, em Londres

Bolsas europeias no verde

As principais praças europeias estão a negociar em alta, em linha com o sentimento registado na Ásia, animadas com a possibilidade de virem a ser introduzidos mais estímulos no Japão. Além disso, a impulsionar o sentimento do mercado estão os dados do emprego nos Estados Unidos, revelados na última sexta-feira, e que superaram as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg. Estes números levam os investidores a terem uma perspectiva mais animada da economia mundial.

Entre as principais congenéres europeias, o PSI-20 lidera os ganhos ao somar 1,42%, seguido do germânico DAX, que avança 1,39%, e do francês CAC40, que cresce 1,37%

Em Tóquio, o Nikkei encerrou a subir 3,98% e o Topix somou 3,79%.

Juros agravam

Os juros da dívida pública portuguesa no mercado secundário estão a subir em quase todos os prazos. A dez anos, a maturidade considerada de referência, as “yields” avançam 0,4 pontos base para 3,083%. No caso da Alemanha, no mesmo prazo, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si descem 0,2 pontos base para -0,191%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 325,0 pontos.

Euro desvaloriza

A moeda da Zona Euro está a perder terreno face à divisa norte-americana. Por esta altura, o euro desliza 0,24% para 1,1024 dólares.

Petróleo no vermelho

Os preços do petróleo estão a cair nos mercados internacionais. A penalizar a evolução da matéria-prima está o facto de os produtores norte-americanos terem aumentado o número de plataformas activas para o valor mais elevado em 12 semanas. Este dado faz crescer a especulação que a queda na produção, que recentemente fez diminuir o excesso de oferta mundial, pode estar a abrandar. O West Texas Intermediate recua 0,90% para 45,00 dólares por barril. O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, perde 0,73% para 46,42 dólares por barril.

Ouro e prata próximos de máximos de dois anos

A cotação do ouro e da prata estiveram próximos de máximos de dois anos, numa altura em que os investidores avaliam os dados do desemprego nos Estados Unidos, que superaram a estimativa dos analistas, e os riscos que existem para a economia mundial. O ouro, para entrega imediata, ainda assim, por esta altura, desliza 0,32% para 1.361,93 dólares por onça. A prata, para entrega imediata, soma 0,26% para 20,3275 dólares.

Destaques do dia

Portugal é campeão europeu. Inédito: Portugal é campeão europeu de futebol. Uma vitória conseguida já durante o prolongamento, aos 109 minutos, quando Éder fez o golo que deu a taça à selecção das quinas.

Fisco apanha 92 mil senhorios com rendas por declarar. O arrendamento tem vindo a ser apontado como uma das áreas com maior propensão à evasão fiscal. Em 2015, o Fisco detectou cerca de 92 mil senhorios sem rendas declaradas ou comunicadas por valores inferiores aos reais, adianta o Relatório de Combate à Fraude.

Gurría: “Números mágicos” do défice devem ser flexibilizados. A Comissão Europeia deve permitir que o défice português fique acima de 3% este ano, defende Angel Gurría. O secretário-geral da OCDE pede novas excepções e mais investimento em infra-estruturas.

Durão Barroso: O peixe graúdo que a Goldman Sachs pescou. A Goldman Sachs contratou Durão Barroso para seu “chairman” e consultor. Durão Barroso tinha saído em 2014 da Comissão Europeia e andava dedicado à vida académica.

CMVM vê “deficiências” na informação dada aos investidores. O número de reclamações apresentadas ao regulador do mercado de capitais voltou a aumentar em 2015. A informação desadequada sobre as características e riscos dos produtos motiva algumas das queixas.

O que vai acontecer esta segunda-feira

Resultados nos EUA. Arranca a época de apresentação de resultados do primeiro semestre pela mão da Alcoa.

Ministros das Finanças da Zona Euro reúnem-se em Bruxelas. Em cima da mesa estarão temas como as sanções a Portugal e Espanha, a Grécia e a banca italiana.

Dados do INE. O Instituto Nacional de Estatística (INE) publica as estatísticas do comércio internacional, relativas a Maio, o índice de produção, emprego, remunerações e horas trabalhadas na construção e obras públicas, em Maio, e os índices de volume de negócios, emprego, remunerações e horas trabalhadas nos serviços, em Maio. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA