A Turquia declarou o estado de emergência para os próximos três meses

(EURONEWS)

A Turquia declarou o estado de emergência para os próximos três meses. O presidente Recep Tayyip Erdogan reuniu, pela primeira vez desde a intentona, o Conselho de Segurança Nacional e o Conselho de Ministros esta quarta-feira. De acordo com o chefe de Estado, a decisão respeita a constituição e vai permitir defender a democracia na Turquia.

Também nesta quarta-feira, o presidente turco afirmou que iria apresentar aos Estados Unidos provas do envolvimento de Fethullah Gulen na tentativa de golpe de Estado e que se Washignton não extraditar o alegado instigador da revolta, “será um erro!”

Cerca de 11 mil pessoas estão detidas entre militares, polícias, magistrados, funcionários públicos e professores e perto de 50 mil pessoas foram suspensas e estão sob investigação. Entre os detidos contam-se uma centena de generais e almirantes e dois juízes do tribunal constitucional. O presidente assegura que estes números vão aumentar e que os golpistas vão pagar caro, numa altura em que reintrodução da pena de morte está em cima da mesa. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA