A Inflação: A Bela, e o Monstro a solta!

Janísio C. Salomão (Janísio C. Salomão)

Caracterização das personagens:

Bela (Economia Angolana)
Monstro (Inflação)

Bela está a viver um momento inigualável, uma longa metragem nunca antes vista nem contada nos seus anais. Esta história está leva – lá para um atalho muito perigoso, caso não seja resgatada, poderá ter um final não muito feliz, pois o monstro anda a solta e faminto, acabando por devorar tudo que encontra.

Durante anos, depois de longos e conturbados momentos, Bela viveu uma vida calma sem grande oscilações, distante do monstro e ameaças.

Infelizmente a sua vila foi invadida, pilhada e grande parte das casas foram incendiadas, acabando por deixar a sua vila, sem reservas para suprimir a demanda. Com se não bastasse, surgiram pestes, epidemias na sua vila que, dizimou uma significativa parte dos habitantes. Felizmente bela foi afectada mais acabou por resistir e superar tal adversidade, devido a sua capacidade de resiliência.

Mas no entanto, Bela foi obrigada a imigrar para sobreviver, pois com a sua aldeia sem mantimentos, medicamentos a situação acabara por tornar –se muito complicada.

Andou de vila em vila, vilarejo em vilarejo, solicitando ajuda para ultrapassar as adversidades com as quais se deparava no seu quotidiano.

Uns à ajudaram outros estavam nem aí para Bela. Quando todos menos esperavam o monstro encontrava –se faminto, como característico do seu instinto animal, deu início a caça, andando de vila em vila, fazendo um número consideráveis de vítimas, concretamente desde os finais do ano de 2015, em que o número já se cifrava em dois dígitos cerca de 14.

O monstro prosseguiu imparável sem existir quem o conseguisse parar; As autoridades locais foram acionadas, com o fito de criar uma estratégia para o deter. Infelizmente, tais medidas não surtiram os efeitos preconizados.

Segundo os últimos dados relevados pelas autoridades, o número de vítimas e estragos na vida dos residentes nas vilas tende a subir, conforme podemos observar no gráfico abaixo:

imgFonte: INE, 2016.

Desde finais de 2015, que o número de incidentes registados aumentou gradualmente cifrando –se na fasquia muito próxima dos 30, um aumento de 2,10%. Estes dados segundo os registos estatísticos, a quase 20 anos que não se verificam, situação está que, já está a criar um desalento e também um clima de pânico em algumas populações, pois o “mostro devora tudo e não deixa nada para os cidadãos”.

Agora o monstro prossegue a sua última caçada, com o objectivo de alcançar a Bela, uma das poucas sobreviventes da sua vila e também a mais desejada.

Não existirá ninguém que socorra a Bela?
Será Bela alcançada e devorada pelo monstro?
Desesperadamente, Bela prossegue com o seu plano de fuga, já perdeu uma boa parte dos seus pertencentes e haveres nesta jornada, o que mais ela tem a perder?

Haver vamos nos próximos capítulos.

Tem continuação……

por Janísio C. Salomão[1]

[1] Mestre em Administração de Empresas; Consultor Empresarial e Técnico Oficial de Contas.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA