A cronologia do terror em França

(REUTERS)

Desde o início de 2015, a França tem sido alvo de diversos ataques terroristas, que deixaram centenas de mortos. Veja a sequência dos atentados que chocaram o país e o mundo.

Entre os ataques ao jornal satírico Charlie Hebdo e as mortes ocorridas em Nice na noite desta quarta-feira (14/07), a França se tornou o maior alvo de atentados terroristas na Europa.

O presidente Francois Hollande, que estava prestes a decretar o fim do estado de emergência estabelecido após os ataques de 13 de Novembro de 2015, optou por estendê-lo por mais três meses.

Abaixo, a cronologia dos ataque iniciados em 2015:

7 de Janeiro de 2015 – Doze pessoas morreram num atentado à sede do jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris, perpetrado por uma célula terrorista associada à Al Qaeda. Os autores do ataque foram mortos após uma intensa caçada policial.

Pouco depois, um homem matou uma policial e fez reféns num mercado judaico, assassinando quatro pessoas antes de ser morto pela polícia. Anteriormente, ele havia jurado lealdade à organização extremista “Estado Islâmico” (EI).

19 de Abril – Um estudante foi preso após o assassinato de uma mulher em Villejuif, próximo a Paris. O jovem de 24 anos, com contactos na Síria, teria planeado ataques a igrejas com fuzis de assalto Kalashnikov, pistolas e revólveres.

26 de Junho – Um islamista de 35 anos foi subjugado ao tentar provocar uma explosão numa usina de gases industriais em Saint-Quentin-Fallavier, próximo a Lyon. Antes, ela havia decapitado seu patrão e pendurado a cabeça em uma cerca da fábrica, junto a duas bandeiras islamistas.

21 de Agosto – Um islamista de 25 anos foi impedido de realizar um ataque com um fuzil automático em um trem de alta velocidade da empresa Thalys, que ia de Bruxelas a Paris. Dois passageiros ficaram feridos.

13 de Novembro – Ataques coordenados em Paris, perpetrados por extremistas do “Estado Islâmico” deixaram 130 mortos. A casa de shows Bataclan se tornou palco de um massacre. Bares e restaurantes foram alvejados, enquanto três terroristas suicidas detonaram explosivos do lado de fora do Stade de France, durante uma partida amistosa entre as selecções de futebol da França e da Alemanha.

18 de Novembro – Numa operação anti-terrorismo no subúrbio parisiense de Saint-Denis, a polícia prendeu sete suspeitos de associação aos autores dos atentados do dia 13. Três outros foram mortos, entre eles, Abdelhamid Abaaoud, considerado o mentor dos ataque em Paris.

7 de Janeiro de 2016 – No aniversário do ataque ao Charlie Hebdo, policiais mataram a tiros um homem em frente a uma delegacia de polícia em Paris. Ele estava armado com uma faca e portava um colete com explosivos falsos.

24 de Março – Investigadores prenderam um francês de 34 anos num apartamento alugado por ele no subúrbio parisiense de Argenteuil, onde foi encontrado um amplo arsenal, incluindo fuzis Kalashnikov, explosivos e uma metralhadora. Segundo os investigadores, o homem integrava uma rede terrorista que estaria prestes a realizar um ataque de grande porte.

14 de Junho – No subúrbio parisiense da Magnanville, um comandante policial e sua mulher, que era secretária de esquadra, foram assassinados em sua própria casa por um homem associado ao EI. Antes do início da Eurocopa 2016, diversas autoridades alertaram repetidas vezes contra o alto risco de ataques terroristas na França.

14 de Julho – No dia da Bastilha, o principal feriado nacional da França, um caminhão atingiu em cheio a multidão que assistia a uma queima de fogos na cidade de Nice, matando ao menos 84 pessoas. (DW)

RC/dpa/dw

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA