29 de Julho: chega o fim do mundo

(YAHOO)

Uma série de vídeos postados no canal YouTube da End Time Prophecies, intitulados Armageddon News, dão a emocionante notícia: o mundo vai acabar na sexta-feira, dia 29 de Julho, em razão de uma combinação especial de eventos.

Não é a primeira vez que alguém profetiza o fim da humanidade: apresentamos um pequeno histórico do que deveria ter acontecido (e não aconteceu: caso contrário, não estaríamos aqui para escrever) e o quanto ainda está para acontecer.

29 de Julho de 2016

O que você vê na foto é um dos muitos corpos celestes que na sexta-feira, dia 29 irão atingir o nosso planeta, começando uma cadeia interminável de terremotos que fará com que a existência da humanidade fique apenas na memória. Você se pergunta, por que todos os meteoritos chegarão naquele dia? A resposta do End Time Prophecies é clara: haverá uma reversão do campo magnético nos polos, fenómeno não muito frequente na história da Terra e, portanto, considerado um prenúncio de desgraças irreparáveis.

O planeta assassino

Tudo isso provém do que foi escrito no The Independent no final de Março de 2016, quando um artigo retomou as teorias de um astrofísico aposentado, Daniel Whitmire. De acordo com o cientista, um planeta não identificado teria desviado cometas e meteoritos contra a Terra. Quando se produzirá o impacto não é claro. Deve-se dizer que as teorias de Whitmire são de 1985: Trinta e um anos depois, não vimos nem sombra dessas colisões.

Aquecimento global

A única ameaça minimamente sensata entre todas, é a do aquecimento global. Desde 2002, os dados do WWF dizem que, se não houver uma redução dos gases de efeito estufa e não houver aumento da utilização de energia renovável, 2050 será o ano em que tudo se tornará irreversível, e a Terra estará condenada. Para sobreviver, deveremos colonizar outros planetas. Deixando de lados os exageros, o aquecimento global é uma questão muito séria, e deve ser tratado por mentes inteligentes para entender exactamente o que fazer. O clima não é o mesmo de antes, isso é um fato. (YAHOO)

por Yahoo, Igor Principe

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA