UNITA no Cuando Cubango realiza reunião do Comité Provincial

(UNITA)

Sob Lema para a Victoria Eleitoral da UNITA em 2017, todos para Mobilização, a UNITA realizou nos dias 9, 10 e 11 de Junho do Ano em curso, na cidade do Menongue, Província do Cuando Cubango, a Primeira reunião ordinária do comité provincial, que que analisou a situação Politica, Económica e social da Província. A reunião avaliou também o grau de cumprimento do Plano acção, referente ao I°Semestre de 2016.

Durante o seu discurso, o Secretario Provincial da UNITA naquela parcela do País, disse:

“A Iª Reunião Ordinária do nosso Comité Provincial foi convocada para cumprir com uma obrigação estatutária referenciada no seu Artigo 37º e que, visa encontrar caminhos viáveis para aplicação dos programas e orientações emanadas do XII Congresso do nosso Partido realizado de 3 à 5 de Dezembro do ano passado.

Entretanto a Iª Reunião Ordinária do Comité Provincial do nosso Partido, é um oportunidade para passar em revista a situação política, económica e social do País em geral e da nossa Província em particular a luz dos acontecimentos que temos conhecido.

De facto nestes últimos 6 meses o País tem vivido um acentuado nível de degradação social derivado das más políticas de Governação do MPLA, agravadas com a tão propalada e induzida crise financeira que o País vive e que a nossa Província não foge a regra.

Por conseguinte:

O custo de vida dos angolanos aumentou consideravelmente e o poder de compra baixou proporcionalmente aos mesmos níveis, a corrupção é a única instituição mais eficiente que o País tem, o sistema de saúde está mais doente do que os próprios pacientes, a educação de qualidade ainda é uma miragem, o fornecimento de energia e água às populações transformou-se no grande calcanhar de Aquiles do Executivo Angolano, como por exemplo é o caso o tão propalado programa água para todos que faliu antes mesmo de florir.

Como se não bastasse, até ao momento todos caminhos trazidos pelo Executivo Angolano para na vã tentativa de melhorar a situação, tem se revelado mais ineficientes e consequentemente agravado a situação porque apesar da crise financeira, os gestores públicos continuam a dar destinos desconhecidos aos fundos públicos, comprometendo desta forma a execução orçamental. O Nepotismo tem também caracterizado a postura do Executivo liderado pelo seu titular e a maior prova deste facto é a ultima nomeação da Engª Isabel dos Santos (filha do Presidente da República) para o Cargo de Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, pelo seu próprio pai…..

Esse favorecimento observado na nomeação da Engª Isabel dos Santos é a todos os títulos condenável à medida em que expõe claramente a defesa dos interesses familiares por parte de S. Excia Sr. Presidente da República em detrimento dos interesses da maioria dos Angolanos o que é muito grave.

Como dizíamos, essa realidade verificada em outras partes do País não foge a da nossa Província com a agravante das suas especificidades como é por exemplo o caso da extensão territorial da mesma, o menor índice de habitantes, o atraso verificado no crescimento e desenvolvimento dela por causa das assimetrias regionais que nos são impostas pelo Executivo do MPLA, quando a Lei mãe que é a Constituição da República de Angola defende o princípio da igualdade de todos.

Ora vejamos o que o Executivo d MPLA pretende com a Província do Cuando Cubango nos próximos tempos:

Por intermédio do Ministro da Administração do Território, o Executivo do MPLA quer dividir a Província do Cuando Cubango em duas, alegando a sua extensão territorial ser superior a tantas outras.

Como dividir a Província do Cuando Cubango quando ela está carente de tudo? Se como uma única Província o Orçamento a ela cabimentada não chega para construir estradas, nem hospitais, muito menos escolas, como é que haverá dotação orçamental que venha sustentar duas províncias nascidas da nossa linda Província do Cuando Cubango hoje?

Estará o MPLA interessado em tomar mais uma medida que a partida se desenha imprópria para os reais problemas da Província?

Nós da UNITA defendemos a não divisão da Província do Cuando Cubango por razões, históricas, culturais, tradicionais e até mesmo políticas e defendemos sim a cabimentação de um Orçamento que venha a concorrer para a melhoria da vida da população do Cuando Cubango. Tudo isso passa por se evitar a alimentar as assimetrias regionais e ouvir as sensibilidades locais da Província.

O povo quer estradas, saúde, educação, habitação condigna, energia eléctrica, água potável, saneamento básico, recreação, respeito pela cultura, mas o MPLA já provou que não consegue proporcionar isso ao povo Angolano pelo que a solução passa pela alternância do poder já no próximo ano através das eleições cuja UNITA se posiciona como única força capaz de fazer essa alternância e realizar Angola e os Angolanos”

O Comité Provincial é composto por 130 membros, vindos dos 9 Municípios da Província.

(nota de imprensa enviada à redacção do Portal de Angola com pedido de publicação)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA