TV Jovem: Televisão corporativa mostra video sobre estado actual do nosso Desporto

António Gomes, Director Nacional para as Políticas Desportivas, do Ministério da Juventude e Desportos (Foto: Angop)

O video que apresentamos  nesta edição, refere-se à mais recente Conferência de Imprensa concedida à comunicação social, pelo Director Nacional de Políticas Desportivas, no passado dia 16 do mês corrente, sobre o actual estado do nosso Desporto.

António Gomes destaca nesta matéria, as acções do MINJUD no contexto de crise financeira, que afecta o MINJUD em mais de 50% a sua dotação orçamental. Para o responsável do sector dos Desportos, o seu pelouro foi orientado superiormente a priorizar as modalidades desportivas de alto rendimento, qualificadas por mérito, respondendo deste modo, às dúvidas levantadas pela crítica nacional.

António Gomes adiantou que o MINJUD não se opõe a soluções de autofinanciamento particular ou colectivo de activistas e dirigentes, quanto à sua deslocação aos eventos internacionais.

VIDEO-CONFERÊNCIA DE IMPRENSA – ANTÓNIO GOMES-GALERIA DOS DESPORTOS-LUANDA-16-6-2016

O responsável da DNPD referiu-se aos ganhos do seu pelouro, que permitem ao MINJUD materializar as políticas do Executivo na matéria. Chamou a atenção  dos opinion makers para a existência de uma Lei sobre o Desporto nacional e demais instrumentos orientadores, que, obrigatoriamente, devem ser objecto de consulta, para melhor consistência das  abordagens sobre a  problemática.

Ao aflorar, por outro lado, a delicada situação  das Infraestruturas, que motiva acesos debates e críticas da mídia nacional, António Gomes foi ao pormenor, para provar que o MINJUD não está alheio aos factos, tendo clarificado pontualmente, o que está na origem das anomalias apontadas.

Referiu-se ao caso dos novos estádios, cuja gestão está sob a alçada dos Governos provinciais, mas que mesmo assim, sugerem a intervenção do MINJUD, quando o assunto indicia gravidade. Exemplificou o caso do Estádio da Tundavala, que visitou, tendo constatado  a relva completamente destruída, por falta de regadio; o furto de um dos geradores e acções de vandalismo nas bancadas, com a destruição sistemática das cadeiras.

A solução, paliativa, implicou recurso a furos de água subterrânea, por ausência de água canalizada, na localidade. O período seco tem constituído, entretanto uma ameaça, ao provocar  a diminuição da extracção de água.

Quanto a estado da relva no Estádio da Tundavala, o responsável do MINJUD informou que uma das causas da degradação da relva resulta do facto de ter utilizado o gramado, para realização de manifestações religiosas, que contribuiram para a sua rápida deterioração.

António Gomes referiu que outras infraestruturas provinciais terão recebido igualmente apoios do MINJUD, “quando da realização do campeonato africano”.

“O estádio de Cabinda também é uma preocupação. Neste aspecto, nós temos tido a preocupação de identificar parceiros na óptica das relações público-privadas que possam explorar esses espaços”, para assegurar a sustentabilidade dos estádios. Os ensaios foram feitos em Luanda e Benguela e serão extensivos a outras regiões.

“A gestão do pavilhão de Hóquei em Patins é um bom exemplo” – disse António Gomes.

Um dos aspectos que podemos salientar é a formação de gestores para as infraestruturas.

“Na modalidade do futebol, naquilo que é nossa responsabilidade – promovemos, a Conferência Nacional de Futebol, com a participaç ão de todos os agentes e não só. Mas mais do que isso” a Conferência permitiu desencadear “um plano do desenvolvimento do futebol”.

PROCESSO DE ELEIÇÕES NAS ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS

“Temos um evento importante, que tem a haver com as eleições nas associações desportivas, em vias de terminarem o ciclo olímpico. Aquilo que é a nossa função, enquanto Ministério da Juventude e Desportos, é naturalmente limitada, mas com uma importância que tem a ver com a fiscalização, monitorização do próprio processo das eleições. Felizmente temos hoje uma Lei do Desporto e das Associações desportivas que é clara” contendo “todos os pressupostos para que as eleições se realizem dentro do marco da lei”.

“Consideramos que por vezes surgem algumas preocupações, por falta de entendimento da própria lei, o que também é natural. Portanto é um processo que também vamos consolidar nos próximos anos”.

António Gomes acentua a importância do Estado cada vez mais distanciar-se  desse processo “porque o associativismo ganhou o estatuto de poder orientar os seus destinos. “Naturalmente  – reforçou -, “com o Estado a acompanhar naquilo que são as nossas responsabilidades, do ponto de vista da definição das políticas e promoção dessas mesmas acções”.

Para o Director da DNPD, “o processo não teve início agora.  Naquilo que é nossa intervenção como MINJUD, atempadamente elaboramos um conjunto de circulares, de normativos, para orientar, sensibilizar os agentes desportivos, no sentido de cumprirem com as suas obrigações”.

“Consideramos  – admitiu -, que era importante alertar os agentes desportivos, no sentido de  adequarem os  estatutos à nova lei. Portanto, a nova lei obriga as associações a cumprirem com as suas responsabilidades. Esse trabalho foi feito junto das direcções provinciais, clubes e associações”.

“É importante que o Estado cada vez mais se distancie deste processo. Porque o associativismo conquistou essa liberdade”

Referindo-se à questão do exercício da crítica pela Imprensa, António Gomes considerou-a “importante”. E justificou-se:  “o que está aqui em causa não é o estado do nosso Desporto. O que nos preocupa é a forma como é feita essa crítica”.

“O que nos incomoda – especifica – é a falta de ética  nas abordagens. Os problemas existem. Hão-de existir sempre. E aqui é importante reforçar o papel da imprensa, naquilo que deve ser a mensagem correcta a levar aos receptores”.

Sobre a TV JOVEM

A Tv Jovem é um projecto de televisão corporativa do Ministério da Juventude e Desportos, MINJUD. A funcionar em regime experimental, sob a orientação do Instituto Angolano da Juventude, esta estrutura de comunicação institucional tem estado a recolher informação e a produzir conteúdos para difusão posterior,  em circuito fechado, nos diferentes departamentos e direcções do Ministério.

A gestão deste orgão foi entregue à empresa Angola Navegando, que concebeu um modelo de gestão, em parceria com o Ministério da Juventude e Desportos, que permitirá levar o sinal televisivo a todos os gabinetes, num sistema de difusão interna, com base em conteúdos sobre a actividade deste importante organismo governamental.

O engenheiro André Pinto e sua equipa lideram o projecto, estando neste momento a desenvolver esforços, com vista a dotar a estrutura, de quadros técnicos especializados, no domínio do áudiovisual.

A TV Jovem funciona no edifício da Galeria dos Desportos, na Cidadela Desportiva de Luanda. (Portal de Angola)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA