Sonia Braga responde críticas de ministro da Cultura com argumentos equivalentes a uma aula de história

Sonia Braga não deixou barata a declaração de Marcelo Calero (Getty Images)

Durante entrevista ao “Preto no Branco”, programa exibido dia 5 (domingo) na TV Brasil, o ministro da Cultura, Marcelo Calero, julgou a manifestação da equipe do longa “Aquarius” durante o Festival de Cannes como algo de “irresponsabilidade quase infantil”. Mas ele recebeu resposta à altura de integrante do elenco.

 Eis o post da atriz para o ministro da Cultura (facebook.com/sonia.braga)
Eis o post da atriz para o ministro da Cultura (facebook.com/sonia.braga)

Em seu perfil no Facebook, Sonia Braga, protagonista do longa, rechaçou a afirmação de Calero. Logo de cara, ela fez questão de lembrá-lo de que não havia lei para regulamentar a profissão artística quando ela começou a atuar, há meia década – Braga ressaltou que ele tem 33 anos, enquanto ela, só de profissão, tem 50. Ainda, a atividade foi reconhecida em 1978, “depois de muita luta, da qual tive a honra de participar”.

Outro ponto diz respeito ao questionamento sobre como um ministro – ele, no caso – pode dizer que um ato democrático, como o feito pela equipe em Cannes poderia “representar um país inteiro”.

De acordo com a atriz, “isso é desconhecimento do que significa plena democracia” e que se houvesse necessidade de fazê-lo em nome de todos, não haveria necessidade de fazer o ato.

Sonia Braga ressaltou que é inadmissível o ministro da Cultura ofender artistas, além de que o cargo dele é voltado ao diálogo e auxílio à classe artística.

Ela encerrou a publicação ao ressaltar que as críticas ao longa dirigido por Kléber Mendonça Filho “foram fabulosas”, com quatro estrelas em jornais franceses, italianos e citações positivas no jornal estadunidense The New York Times. (YAHOO)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA