Relações entre MPLA e PCP foram sempre positivas

Membro do Partido Comunista Português, Pedro Guerreiro. (Foto: Rosário dos Santos)

As relações entre o Partido Comunista Português (PCP) e o MPLA foram caracterizadas, desde sempre, como positivas, de acordo o membro do Secretariado do Comité Central desta formação política portuguesa, Pedro Guerreiro.

Pedro Guerreiro teceu estas declarações à Imprensa, a saída de um encontro que manteve quinta-feira, em Luanda, com o Presidente do Grupo Parlamentar do MPLA, Virgílio Fontes Pereira.

O chefe da delegação lusa considerou a visita de cinco dias à Angola de “positiva”, pois permitiu fortalecer as relações entre o seu partido e o MPLA.

Disse ter sido informado sobre o programa eleitoral do MPLA e dos compromissos das últimas eleições, que estão a ser cumpridos por parte do partido dos camaradas.

Ressaltou que a postura do Partido Comunista Português não é de hoje, porque segundo afirmou, sempre foi a favor da independência de Angola, da paz e estabilidade e, na sua óptica, “devem ser os angolanos a resolver os seus problemas sem qualquer ingerência externa”.

Reafirmou que a posição do Partido Comunista “ foi sempre a de solidária com Angola e com o MPLA e, neste contexto, torna-se necessário que se fortaleçam as relações entre os povos português e angolano”.

Considerou positiva a visita, pois permitiu aprofundar as relações com o MPLA e o povo angolano e serviu igualmente para saber da realidade angolana.

Por seu turno, o Vice-presidente do Grupo Parlamentar do MPLA, Pedro Sebastião, disse ter sido um encontro positivo, pois permitiu aos dois partidos trocaram impressões sobre a realidade de Angola e, sobretudo, do partido angolano.

Para Pedro Sebastião “daqui em diante as relações com o Partido Comunista serão mais consolidadas, porque datam desde os primórdios da luta de libertação nacional de Angola”.

Durante a sua permanência em Angola, a delegação lusa manteve audiências com o Vice -presidente do MPLA, Roberto de Almeida, com o Grupo Parlamentar do MPLA, bem como visitou a sede do Comité Provincial do Partido em Luanda, a província do Huambo, o Mediateca, o Mausoléu António Agostinho Neto.

Os laços de amizade e de cooperação entre o MPLA e o Partido Comunista Português remontam desde os primórdios da independência de Angola. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA