Quanto mais me provocarem, mais corro risco de ser candidato, diz Lula

Ex-presidente foi denunciado pela Promotoria de SP (AP)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira em discurso durante ato contra o presidente interino Michel Temer que, quanto mais for provocado, mais tem chance de ser candidato à Presidência da República.

Em seu discurso na Avenida Paulista, Lula criticou decisões de Temer, como a extinção dos ministérios dos Direitos Humanos e das Mulheres, e também atacou a política externa do governo interino, chefiada pelo ministro das Relações Exteriores, José Serra.

“Quanto mais eles me provocarem, mais corro o risco de ser candidato a presidente de novo”, disse Lula aos manifestantes contrários a Temer.

Segundo os organizadores, 100 mil pessoas participavam do ato na Paulista contra o presidente interino e pela volta da presidente afastada Dilma Rousseff. A Polícia Militar ainda não tinha divulgado uma estimativa do número de manifestantes.

Outros atos contra Temer também aconteciam em várias cidades do país, organizados por movimentos sociais e pelo PT. No Rio de Janeiro, segundo os organizadores, 15 mil pessoas participaram do protesto. A Polícia Militar fluminense não divulgou estimativas.

As declarações de Lula acontecem um dia depois de ir ao ar uma entrevista de Dilma em que ela defendeu uma consulta popular sobre novas eleições caso ela seja absolvida no processo de impeachment e retorne à Presidência.

Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta semana apontou que o ex-presidente Lula lidera em todos os cenários de primeiro turno que simulam as eleições presidenciais marcadas para 2018.

Já nas simulações de segundo turno, Lula aparece atrás no cenário contra Marina da Silva (Rede), atrás do senador Aécio Neves (PSDB-MG), mas no limite do empate técnico, e à frente de Temer, também no limite do empate técnico. (REUTERS)

por Eduardo Simões

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA