Professoras destacam efeitos positivos do processo de inclusão

escola para Deficientes Visuais óscar Ribas (Foto: Lucas)

Professoras da Escola Óscar Ribas reconheceram hoje, em Luanda, que o sistema de inclusão é uma mais-valia para o ensino, bem como para os estudantes com deficiências.

Em entrevista à Angop sobre o processo de ensino na instituição, os docentes afirmaram que a inclusão escolar traz consigo muitos benefícios para quem sofre de deficiência, pelo facto de permitir a sua interacção com os demais alunos.

A professora Angelina Caetano disse que a inclusão traz grandes vantagens, exemplificando que a Escola Óscar Ribas antes era apenas para deficientes e os alunos conviviam em um ambiente isolado, mas fruto da inclusão adaptam-se e ficam melhor preparados para lidarem com a sociedade.

Angelina Caetano, que lecciona há 33 anos, estando no presente ano lectivo a dar aulas numa turma da 5ª classe com dois alunos com deficiência visual, adianta que tem sido satisfatório o processo de inclusão.

Após ter participado em alguns seminários de capacitação aperfeiçoo o uso do Braille, Angelina Caetano afirmou que lecciona sem dificuldades.

Segundo a docente, são alunos interessados em aprender e colaboram muito, facilitando o ensino e aprendizado, pois colocam em prática o que lhes é ensinado, contribuindo assim para uma evolução positiva.

Por seu turno a docente Madalena Neves, professora de Braille, revelou ser uma experiência positiva, uma vez que também tem a mesma dificuldade (deficiência visual) e tenta ajudar.

A adaptação, disse, varia de criança para criança e segundo a evolução são enquadradas em salas de inclusão.

Madalena Neves considerou que o sistema de inclusão acaba com a descriminação e prepara as crianças para uma vida independente.

Joanete Mateus, mãe de um aluno de 9 anos de idade portador de deficiência visual, diz estar muito feliz com o desenvolvimento do filho, que tem se adaptado muito bem.

Por seu turno Pedro Parente, pai de uma menina de 19 anos portadora de deficiência auditiva, mostrou-se feliz pela evolução da filha, pelo facto de actualmente perceber até mesmo a linguagem labial e não apenas depender da gestual.

Dados do Ministério da Educação (MED) indicam que o país possui 20 escolas especiais e 775 instituições de ensino inclusivas com mais de 30 mil estudantes matriculados. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA