Presidente turco sente-se ofendido e decide não participar de funeral de Muhammed Ali

(AFP)

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que deveria assistir aos funerais de Muhammed Ali, decidiu encurtar a sua estadia em Louisville (Kentucky, centro), ofendido com a recepção dos organizadores, informou a imprensa turca.

Erdogan não conseguiu fazer parte da lista de oradores da cerimónia que acontece nesta sexta-feira.

O presidente turco, acompanhado de seu genro, Berat Albayrak, que é ministro da Energia, compareceu na véspera ao velório e depois decidiu encurtar repentinamente sua visita, que deveria durar até a noite desta sexta.

Segundo o jornal Hurriyet Daily News, que cita fontes do gabinete do presidente, Erdogan sentiu-se particularmente ofendido por não ter podido colocar sobre o caixão do pugilista a Kiwsa, uma peça de tecido adornada com versos do Corão, que também recobre a Kaaba, a construção cúbica situada no centro da Grande Mesquita de Meca.

Muhammed Ali é venerado em todo o mundo islâmico por ter se convertido ao Islão em 1964 e por ter defendido os valores pacíficos e universais desta religião ao longo de sua vida. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA