OCDE revê previsão de crescimento para Portugal de 1,6% para 1,2%

Angel Gurría é o director geral da OCDE (AFP PHOTO / ERIC PIERMONT)

Novas projecções ficam distantes das metas do Governo e são as mais pessimistas entre as organizações internacionais.

Em vez dos 1,6% previstos em Novembro do ano passado, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) projecta agora um crescimento de apenas 1,2% em Portugal em 2016, uma revisão em baixa das estimativas que torna a instituição sediada em Paris como a mais pessimista em relação ao desempenho da economia portuguesa.

No relatório sobre a economia mundial publicado esta quarta-feira, a OCDE mostra não acreditar nos planos delineados pelo Governo português para os próximos anos. Para além do crescimento de 1,2% previsto para 2016 (que fica longe da meta de 1,8% do Governo), aponta para uma aceleração muito ligeira em 2017, para 1,3%.

Estes níveis de crescimento muito baixos são explicados pela OCDE com a quebra do investimento durante este ano e com a impossibilidade de concretizar um ritmo elevado de crescimento sustentável nos anos seguintes com base no consumo privado.

Para além do ritmo lento da economia, a OCDE diverge fortemente das previsões do Governo também ao nível das finanças públicas, já que aponta para um défice de 2,9% este ano (que compara com 2,2% do Executivo) e 2,6% em 2017.

Com estas projecções, a OCDE torna-se na instituição internacional mais pessimista em relação a Portugal. Para 2016, a Comissão Europeia prevê neste momento uma variação do PIB de 1,5% e um défice de 2,7% e o FMI estima valores de 1,4% e 2,9%, para os mesmos indicadores, respectivamente. (publico)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA