“Não há forma de prever as consequências políticas do Brexit”, afirma Donald Tusk

(Reuters)

O presidente do Conselho Europeu garante que a integridade da Europa a 27 – depois da saída do Reino Unido – não vai ser beliscada. Mas a saída do Reino Unido é “um momento dramático”, reconheceu.

A União Europeia vai manter-se unida mesmo após a saída do Reino Unido, assegurou esta manhã Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, o órgão que reúne os chefes de Estado dos estados-membros da União Europeia. Para todos os restantes países, a “União continua a ser o quadro para o nosso futuro comum”, assinalou Tusk. Apesar disso, Tusk está “perfeitamente consciente” de que esta decisão é “politicamente grave” e até “dramática”.

Tusk anunciou já que na próxima reunião do Conselho Europeu, na próxima terça e quarta-feira, vai já existir uma reunião informal dos 27.

“Não há forma de prever as consequências políticas deste evento, especialmente para o Reino Unido. Mas este não é o momento para reacções histéricas. Quero assegurar a todos que estamos preparados para este cenário negativo”, afirmou Tusk, numa conferência de imprensa esta manhã.

O presidente do Conselho Europeu procurou também transmitir uma mensagem de tranquilidade até à saída do Reino Unido. “Até ao Reino Unido sair formalmente da UE, as leis europeias continuam a aplicar-se no território britânico, com os seus direitos e obrigações”. Os procedimentos para a saída da União Europeia “são claros” e “estão previstos nos tratados”, acrescentou Tusk.

Os últimos anos “foram os mais difíceis da história” para a União Europeia, mas Tusk procurou transmitir uma mensagem de esperança, lembrando o que o pai lhe costumava dizer. “O que não nos mata torna-nos mais fortes”, assinalou. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA