Moxico: Responsável do hospital provincial defende manutenção da humanização nos serviços sanitários

Moxico: Júlio Pedro Mendes, chefe di Banco de Urgências do Hospital Geral (Foto: Kinda Kyungu)

A humanização dos serviços sanitários, sobretudo no atendimento dos pacientes, é uma “divisa” em consolidação e merece atenção especial no Hospital Geral do Moxico (HGM), afirmou terça-feira, no Luena, o chefe do Banco de Urgência, Júlio Pedro Mendes.

Falando à Angop sobre o funcionamento da maior unidade sanitária da província, Júlio Mendes disse que o hospital continua a ser um lugar excelente de tratamento do doente com dignidade e dentro dos padrões de humanização.

O responsável reafirmou que “a ideia é manter o paciente recuperado, pondo-o nas melhores condições de saúde e reintegração social, atraindo os utentes ao hospital para continuar a cumprir com os objectivos pelos quais foi criado”.

Por outro lado, avançou que nos últimos sete dias foram registadas sete mortes, dos quais seis na área de pediatria devido à malária e doenças diarreicas agudas, bem como um acidente vascular cerebral (avc). Neste período foram consultados mil e 50 pacientes, 445 dos quais transferidos para a área de medicina e 605 para pediatria.

Entre as patologias mais frequentes foram apontadas a malária, a bronco-pneumonia, as doenças diarreicas e respiratórias agudas, a febre tifóide, as diabetes, entre outras. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA