Morte de crianças no Iémen põe coligação saudita na lista negra da ONU

Crianças iemenitas observam prédios destruídos por bombardeamentos da coligação liderada pela Arábia Saudita em uma área da capital iemenita Sanaa (afp_tickers)

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pôs em sua lista negra anual, nesta quinta-feira, a coligação militar liderada pela Arábia Saudita que apoia o governo do Iémen, após a morte de centenas de crianças em ataques aéreos.

Os rebeldes xiitas huthis do Iémen que ocuparam a capital Sanaa em Setembro de 2014 também foram incorporados à lista de violadores dos Direitos da Criança publicada nesta quinta-feira, que detalha crimes em 14 países.

“O surgimento e a escalada da crise tiveram um impacto aterrador em meninos e meninas”, afirma um comunicado do escritório do representante das Nações Unidas para a Criança em Conflitos Armados.

“A situação no Iémen é particularmente preocupante com a multiplicação por cinco do número de crianças recrutadas (por grupos armados), e por seis, o de crianças mortas e mutiladas em comparação a 2014”, acrescenta o documento.

A coligação liderada pelos sauditas é responsável por 60% do total de 785 crianças mortas e 1.168 feridas no ano passado no Iémen, ainda segundo o texto.

A coligação lançou sua campanha aérea para repelir os huthis em Março de 2015, mas os rebeldes ainda controlam a capital e outras zonas do Iémen. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA