Ministro apela CNJ investir na formação de quadros (Áudio)

Ministro da Juventude e Desportos (à esq.), Gonçalves Muandumbua, com uma Delegação do CNJ (Foto: Angop/Arquivo)

O ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, apelou hoje, sexta-feira, em Luanda, aos membros da nova direcção do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), a continuar a investir na formação e capacitação dos quadros, por forma a estarem capazes de resolver os problemas dos cidadãos.

Em declarações à Angop, a propósito do encontro com a nova direcção do CNJ, o governante referiu ser necessária a formação de líderes, porque o que se pretende é que as organizações tenham líderes capazes de resolver os problemas e não chefes só para mandarem.

António Tingão, novo presidente do CNJ e o ministro Muandumba. (Foto: Angop)
António Tingão, novo presidente do CNJ e o ministro Muandumba.
(Foto: Angop)

De acordo com a fonte, é importante que haja maior diálogo entre os jovens, bem como existe a necessidade de haver mais organizações juvenis.

Disse também que a maior preocupação apresentada no encontro pelos membros da direcção do CNJ é a criação de melhores condições de trabalho das suas instalações, que é fundamental para que haja melhor desempenho dos funcionários.

O ministro Gonçalves Muandumba procedendo à entrega de um conjunto de 5 computadores, ao CNJ. (Foto: Angop)
O ministro Gonçalves Muandumba procedendo à entrega de um conjunto de 5 computadores, ao CNJ.
(Foto: Angop)

“Este primeiro encontro realizado após trinta e um dias da tomada de posse da nova direcção do CNJ, o ministro referiu que o mesmo serviu para transmitir a mensagem do Governo de apoio a organização e relembrar a responsabilidade que têm”, salientou.

Por sua vez, o presidente o presidente do Conselho Nacional da Juventude, António Tingão, reiterou como prioridade de trabalho para o quadriénio 2016/2020, o trabalho com a juventude das zonas rurais.

António Tingão reassumiu o compromisso de cumprir com as línhas de força plasmadas no plano de acção da organização e estabeleceu como prioridade de actuação, o desenvolvimento de trabalhos com os jovens estudantes e os do meio rural, no sentido de massificar o associativismo e auscultar as suas dificuldades.

O novo corpo directivo do CNJ, eleito por 47 votos a favor, três nulos e três abstenções, é constituído por António Tingão presidente do CNJ, em representação da Liga Lusófona, Iolanda Chimuco, vice-presidente para os assuntos políticos e institucional em representação da Associação dos Estudantes Angolanos (AEA), Massano Domingos, vice-presidente para organização, em representação ao ASDI-J.

Quanto ao conselho Fiscal e jurisdicional, é presidido por Custódio Camuanga em representação da JURA, Cláudio Araújo, vice-presidente do conselho em representação da Brigada 28 A e Jovete da Silva vogal do conselho em representação a ADDJ.

Já para a mesa da assembleia-geral foram empossados Elísio Manuel como presidente da mesa (JMPLA), António Manuel, vice-presidente da mesa (JEA) e Sónia Vite, secretária da mesa (CPJ Moxico). (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA