Mexia: “O meu salário equivale ao de um defesa direito de um clube do meio da tabela”

(Foto: D.R.)

Em entrevista à Sábado, o executivo recorreu ao mundo do futebol para situar o seu ordenado em comparação com os líderes de energéticas europeias e norte-americanas da mesma dimensão.

O presidente da EDP  é um dos gestores mais bem pagos de Portugal. No ano passado levou 1,9 milhões de euros para casa. E este ano pode vir a ganhar 2,6 milhões, mais 36% face a 2015.

Mas comparando o seu salário com o auferido noutras energéticas europeias e norte-americanas, o executivo sublinha que o seu salário é “incomparavelmente mais baixo”.

Em entrevista à revista Sábado desta quinta-feira, 2 de Junho, recorreu ao mundo do futebol para exemplificar onde é que a sua remuneração se situa em comparação com outros gestores

“No futebol, o meu salário equivale ao de um defesa direito de um clube do meio da tabela (risos). Não me considerando eu, um jogador desses”, disse António Mexia.

“E se olhar para o sector, na Europa e nos Estados Unidos, o meu salário é incomparavelmente mais baixo do que o de outras empresas da mesma dimensão”, afirmou, destacando também os lucros gerados pela empresa.

O gestor sublinhou na entrevista que a questão do seu ordenado só diz respeito a si próprio e aos accionistas da companhia. “Sejamos pragmáticos, só lhes diz respeito a eles e a mim – e a mais ninguém.

Sendo que é transparente, porque em Portugal as únicas pessoas que são obrigadas a revelar a remuneração são os gestores das cotadas e os titulares de cargos públicos”. (jornaldenegocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA