Membros do antigo Governo da Guiné-Bissau sem mantimentos no Palácio onde estão barricados

Baciro Djá (esq.) e Domingos Simões Pereira (dir.) (VOA)

Os membros do anterior Executivo da Guiné-Bissau liderado por Carlos Correia, que se encontram barricados há 12 dias no interior do Palácio do Governo, estão sem água nem comida, depois de o secretário de Estado da Ordem Pública Marcelino Lopes Cabral ter ordenado à Guarda Nacional que impeça que as pessoas entrem e saiam do edifício.

“Quem está lá dentro não sai e quem sai não entra, foi a ordem dada” disse uma fonte da VOA, adiantando que “estão sem comida nem água”.

Depois da decisão na noite de domingo, 5, vários militantes e simpatizantes do PAIGC dirigiram-se ao local e envolveram-se em algumas escaramuças com membros da Guarda Nacional, sem consequências de maior.

Entretanto, os antigos governantes garantem que ficarão no interior do Palácio à espera da comissão criada pela Comunidade Económica dos Países da África Ocidental (CEDEAO), no sábado, 4, para tentar encontrar uma solução para a crise política actual.

A comissão é integrada pelos presidentes da Guiné-Conacri, Senegal e Serra Leoa, mas ainda não há nenhuma data para uma eventual deslocação a Bissau. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA