Mais de 10.000 mortos no Mediterrâneo desde 2014

Desde 2014 que o número de mortos no Mediterrâneo não pára de aumenta (REUTERS)

Mais de 10 mil pessoas morreram desde 2014 ao tentar atravessar o Mediterrâneo rumo ao continente europeu. O anúncio é do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

Em 2014, 3.500 pessoas morreram no mar Mediterrâneo. Em 2015, 3.771 perderam a vida ao tentar atravessar o Mediterrâneo para chegar ao continente europeu e a estes adicionam-se 2.814 mortes já neste corrente ano de 2016.

Desde 2014 que o número de mortos no Mediterrâneo não pára de aumentar. Os dados foram hoje actualizados pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), que sublinha que a marca de 10.000 mortos foi superada nos últimos dias.

Por seu lado a Organização Internacional para as Migrações (OIM), calcula que desde o início de 2016 aconteceram 2.809 mortes no Mediterrâneo. Mais mil que no primeiro semestre de 2015 e ainda faltam três semanas para o fim do primeiro semestre deste ano.

Em comunicado, a organização também revelou detalhes sobre o naufrágio na semana passada de um barco de migrantes nas costas de Creta. Segundo a OIM a bordo da embarcação estavam pelo menos 648 pessoas, destas 320 permanecem desaparecidas.

Desde o início de 2016 e até ao dia 5 de Junho, de acordo com a OIM, 206.400 refugiados e migrantes chegaram à Europa via mar, pela Grécia, Chipre e Espanha. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA