Locomotivas americanas chegam no próximo ano

(Foto: D.R.)

A empresa General Electric Angola (GEA), concessionária da companhia norte-americana de tecnologias e inovação que actua nas áreas dos transportes, energia, iluminação e saúde, vai fornecer 100 locomotivas a Angola no primeiro trimestre do próximo ano.

O anúncio foi feito ontem ao Jornal de Angola, em Luanda, pelo presidente do conselho de administração da companhia. David Viela garantiu que o processo de produção de algumas unidades das locomotivas já está em curso, estando o término previsto para este ano. Para o financiamento das 100 locomotivas, a companhia está a trabalhar com empresas financeiras estrangeiras.
O fornecimento das locomotivas é resultado do memorando que o Governo de Angola e a General Electric Company assinaram em Fevereiro de 2013, em Chicago. O memorando rubricado pelo CEO da GE Transportation,Lorenzo Simonelli e pelo ministro dos Transportes, Augusto Tomás, estende a colaboração ao sector de aviação civil e à reparação de locomotivas até então avariadas.
Nos termos do memorando, as primeiras 15 locomotivas deviam chegar a Angola em 2014 e as restantes 85 num período de cinco anos, mas a situação financeira actual atrasou a concretização para 2017.  As unidades encomendadas por Angola estão a ser construídas em Erie, Pennsilvânia, disse David Viela. A primeira entrega está prevista para o primeiro semestre de 2017 e a última para 2019. Além das locomotivas, a General Electric vai fornecer peças e   formar técnicos angolanos.
Grande parte dos negócios da  GM Angola está concentrada nos sectores de petróleo e gás,  na geração de electricidade, com a colocação de turbinas eléctricas  em várias províncias. No sector da Saúde, a companhia fornece equipamentos de cardiologia, obstetrícia, ressonância  magnética, enquanto no sector de aviação fornece motores para os aviões da TAAG.
Os investimentos da GE em Angola remontam aos anos 1950. David Viela recordou que a empresa começou a investir em Angola em 1956. Depois de um período longo de paralisação, devido às mudanças políticas no país, em 2005, a companhia reiniciou o processo de exportação, para Angola, de maquinarias de compressão para marcenaria.
A GE é parceiro do Governo no sector público e privado no ramo de soluções energéticas , isto no sector de petróleo e gás, quer das renováveis, hídricas e solares aplicáveis. No sector mineiro, tem  parceria na área da tecnologia. “A tecnologia que se aplica nas locomotivas, também podem ser utilizadas no sector mineiro”, referiu.

O lucro líquido da GE aumentou para 6,28 mil milhões,  no quarto trimestre de 2015, acima do lucro de 5,15 mil milhões registado em igual período do ano anterior. A receita geral da companhia subiu 1,4 por cento, para 33,89 mil milhões no quarto trimestre de 2015.
Excluindo-se o negócio do sector financeiro da GE, a companhia teve um lucro de 0,52 por acção e uma receita de 33,8 mil milhões. Analistas ouvidos pela Thomson Reuters previam lucro de  0,49 de dólares por acção e receita de  35,96 mil milhões, nesse caso. (jornaldeangola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA