Jogos Olímpicos: MJD prioriza participação de atletas com mínimos

António Gomes, ao centro, Director Nacional para as Políticas Desportivas do MINJUD, ontem na Galeria dos Desportos. (Foto: Angop)

Dado ao actual momento económico-financeiro e consequente restrição do orçamento, avaliado em 155 milhões de kwanzas, o Ministério da Juventude e Desportos vai priorizar para os Jogos Olímpicos Rio2016, os atletas que conseguiram os mínimos exigidos.

Esta informação foi prestada pelo Director Nacional para as Políticas Desportivas do Ministério da Juventude e Desportos, António Gomes, durante uma conferência de imprensa, realizada na Galeria dos Desportos, em Luanda, para abordar o momento actual do Desporto nacional, num dia em que se assinalam os 50 dias antes dos Jogos Olímpicos, a decorrem de 5 a 21 de Agosto no Rio de Janeiro.

António Gomes sublinhou entretanto que as modalidades convidadas poderão ser incluídas se houver melhoria financeira ou se tiverem apoio de particulares ou do Comité Olímpico Angolano (COA), “porém terão todo o afecto e acompanhamento da delegação” presente no evento mundial.

Assim, de acordo com a fonte, serão priorizadas a Natação, Remo, Andebol, Judo (e o Atletismo adaptado para os Jogos paralímpicos) que, por mérito próprio, conseguiram os mínimos exigidos para os Jogos. Foram convidadas pelas respectivas federações internacionais atletas angolanos das modalidades de Tiro e Vela.

Por haver modalidades com mínimos, Angola prescindirá do mecanismo previsto no âmbito da universalidade dos jogos, que estipula a participação de atletas do Atletismo e da Natação de cada país membro independente de ter ou não os mínimos requeridos, por forma a assegurar que todos os países participem da festa do Desporto mundial.

António Gomes salientou que, apesar de a restrição advir da falta de verbas, é uma medida que “de certa forma” fará com que as equipas nacionais se empenhem mais nas próximas provas que ditam o apuramento, como maneira de evitar esta situação.

Ainda no âmbito da restrição financeira, o Ministério não prevê qualquer estágio no estrangeiro. No entanto, as equipas nacionais podem cumprir a preparação no fora do país caso obtenham patrocínios.

Em 2012,em Londres, Angola havia participado com as modalidades de Basquetebol feminino, Andebol feminino, Natação, Canoagem, Judo e Boxe.

No encontro com os jornalistas, foram também prestados esclarecimentos sobre o estado das infra-estruturas desportivas que serviram o CAN2010 e Afrobasket2007 e o Mundial de Hóquei 2013, bem como o estado de implementação das decisões da Conferência Nacional do Futebol.

O processo de renovação de mandatos nas instituições desportivas no âmbito do ciclo olímpico mereceu a apreciação de António Gomes, que sublinhou a importância de os eleitores, quer ao nível dos clubes, associações ou federações nacionais, fazerem escolhas que assegurem o crescimento da respectiva modalidade e instituição.

Os jogos da CPLP, no próximo mês em Cabo Verde, os Jogos da Região 5 em Luanda em Dezembro e o Africano de Andebol continuam na agenda diária do Ministério, apesar das dificuldades que se enfrenta, porque, segundo sublinhou a fonte, cada um desses eventos tem a sua importância no âmbito do Desporto angolano. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA