Itália reitera apoio no domínio da defesa

João Lourenço, ministro da Defesa (arq) (Foto: Lusano Lima)

O ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, assegurou quinta-feira última, em Roma, que a Itália vai continuar a apoiar Angola no domínio da defesa e segurança.

Em breves declarações à imprensa angolana, após o encontro com a sua homóloga italiana Roberta Pinotti, acrescentou que vão procurar materializar os projectos na área da defesa, para uma maior segurança do território, em particular da costa marítima angolana.

Antes da reunião com a governante italiana, João Lourenço manteve um encontro com o administrador delegado da Leonardo-Finmeccanica, Mauro Moretti, com o qual fez um balanço sobre o projecto de aquisição de material para os vários ramos das Forças Armadas Angolanas.

O ministro da Defesa disse que está a negociar “projectos concretos para Angola” com a Leonardo-Finmeccanica, uma das empresas cuja actividade abrange áreas importantes como a vigilância e segurança marítima.

Com sede na Itália, escritórios e instalações industriais em 15 países, uma importante presença industrial nos Estados Unidos da América, Reino Unido e Polónia, a Leonardo-Finmeccanica é uma empresa de alta tecnologia e uma das principais intervenientes no mercado mundial da indústria aeroespacial, defesa e segurança.

O ministro da Defesa visitou já o Comando Central da Esquadra Naval da Itália, onde foi recebido pelo vice-almirante Filippo Maria Foffi, que explicou detalhadamente a actividade deste centro militar e a sua importância no que se refere ao controlo da costa marítima italiana e também a sua importância para a NATO.

O programa do governante angolano prevê para hoje uma visita à Aero-Sekur, sociedade que fornece produtos e serviços destinados à aeronáutica militar e civil, assim como às empresas Fincantieri (tecnologia naval) e a Rheinmetall Med, empresa de produção de produtos médicos.

Nesta segunda deslocação à Itália, João Lourenço é acompanhado por uma delegação composta por generais e oficiais, à qual se juntaram o embaixador de Angola na Itália, Florêncio de Almeida, e do adido de Defesa, brigadeiro Adriano Vizado.

A Itália foi o primeiro país da Europa Ocidental a reconhecer a Independência de Angola, no dia 18 de Fevereiro de 1976, e a 4 de Junho do mesmo ano foram estabelecidas relações diplomáticas entre os dois Estados.

As relações de cooperação tiveram início em 1977, com a assinatura de um Memorando. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA