Huíla: Mais de 500 famílias integradas em projecto agro-pecuário no Mulondo

Produção agrícola (Foto: Morais Silva)

Mais de quinhentas famílias estão integradas desde 2002 num projecto agro-pecuário privado denominado ?Luanganda?, localizada no sector de Calueyo, comuna do Mulondo, 100 quilómetros a sul do município da Matala, província da Huíla.

De acordo com o proprietário da infra-estrutura, Adelino Gomes Ribeiro Júnior, que prestou a informação à Angop, o programa social da fazenda, para além de garantir o ordenado mensal, os trabalhadores têm direito a uma parcela para a prática agrícola e gado de tracção.

Segundo o empresário, os trabalhadores actuam em diversos sectores de produção da fazenda, com destaque para a criação de gado, agricultura, sector industrial e administrativo, contribuindo para o desenvolvimento do projecto.

Sublinhou que o projecto financiou a construção de uma escola e de um posto médico, que, neste momento, se encontram encerradas por falta de recursos humanos e medicamentos.

Manifestou o desejo de trabalhar com a administração municipal da Matala no sentido de pôr em funcionamento as duas infra-estruturas.

Por seu turno, as mais de quinhentas famílias integradas no projecto agro-pecuário de iniciativa privada “Luanganda” enaltecem a iniciativa que está a melhorar as suas condições de vida.

Falando à Angop, as famílias foram unânimes em afirmar que desde o arranque do projecto, em 2002, e consequentemente a sua integração, as condições de vida mudaram significativamente, na medida em que a renda obtida tem servido para alimentar as famílias e comprar utensílios.

Camilo Muatotonapo, 47 anos, disse que o seu trabalho é controlar e tratar os animais, sobretudo o gado bovino, caprino, suíno, galinhas e bombos, realçando a experiência adquirida e estabilidade financeira obtida.

Carlos Alberto da Costa, 39 anos, afirmou que o seu trabalho está ligado à agricultura e tem responsabilidade de tratar as plantas fruteiras e controlar toda produção de cereais, que serve para alimentar o gado e agradece pela sua integração no projecto de iniciativa privada.

“Para além do milho, feijão, cebola, alio, na fazenda temos goiabeiras, laranjeiras, tangerineiras, abacateiros e figueiras de Portugal, entre outros produtos”, sublinhou.

Já, o subgerente e responsável pela manutenção dos equipamentos da fazenda, Francisco Abel Saiago, indicou a fazenda como principal meio de sustento da família.

A fazenda agro-pecuária “Luanganda” iniciou a sua principal actividade de criação de gado em 2002 e conta com uma extensão de aproximadamente 15 mil hectares para apascentar o gado bovino e para actividades agrícolas. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA