Governo vai sobreviver para além das autárquicas? 73% acredita que sim

(Correio da Manhã)

Uma larga maioria dos portugueses (73,3%) acredita que o Governo vai durar para lá das eleições autárquicas, que se vão realizar no Outono do próximo ano. Só 5% acredita que o Governo cai antes.

Quase três quartos (73,3%) dos inquiridos numa sondagem da Aximage acredita que o Governo vai durar para lá das eleições autárquicas, no Outono de 2017. Os resultados revelam que 18,8% considera que o Governo só vai durar até às autárquicas, enquanto 5,1% responde que vai cair antes.

Entre os mais confiantes na sobrevivência do Governo além das próximas eleições locais estão os inquiridos do PS, com 89,6% a considerar que o Governo vai durar além do Outono de 2017. Os inquiridos do Bloco de Esquerda (85,5%) e da CDU (84,5%) também estão entre os mais confiantes.

Os eleitores do PSD e do CDS estão entre os que mais apostam numa queda do Governo antes das autárquicas, com percentagens de 9,9% e de 5,6%, respectivamente. Mas mesmo entre os apoiantes dos partidos que fazem agora oposição ao Governo, a maioria acredita que o Governo se mantém em funções além dessa data: 57,5% no caso do PSD e 77% no caso do CDS.

Os eleitores do PSD são os que mais acreditam que o Governo só vai durar até às autárquicas, com 30,1% dos inquiridos a escolher esta hipótese. A data também é considerada decisiva por determinar o fim da legislatura por uma maior percentagem de apoiantes do Bloco de Esquerda (11,4%) do que da CDU (3,9%).

A questão foi levantada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a 24 de Maio. “Desiludam-se aqueles que pensam que o Presidente da República vai dar um passo sequer para provocar instabilidade neste ciclo que vai até às autárquicas. Depois das autárquicas, veremos o que é que se passa. Mas o ideal para Portugal, neste momento, é que o governo dure e tenha sucesso”, disse.

Na manhã seguinte, o Observador publicava os esclarecimentos de Marcelo Rebelo de Sousa sobre as suas declarações. “Não acho que o Governo vá cair” por causa das autárquicas, acrescentou o Presidente da República. A frase foi dita com a intenção de “se perceber que estava fora de causa nestes dois anos haver instabilidade. E depois também era desejável que não houvesse”, justificou. “Como havia grande especulação sobre certas leis, queria dizer que nada se alterou significativamente desde o começo da legislatura e das minhas funções. A maioria está estável”, concluiu Marcelo Rebelo de Sousa. (Jornal de Negocios)

(DR)
(DR)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA