Governador de Luanda garante reabilitação da rua da Brigada em breve

Governador de Luanda, Higino Carneiro (Foto: Clemente Dos Santos)

A rua da Brigada, uma importante via que interliga as avenidas Hoji Ya Henda (ex-avenida Brasil) e Ngola Kiluanje, no distrito urbano do Rangel, será brevemente reabilitada, garantiu hoje (terça-feira), o governador provincial de Luanda, Higino Carneiro.

O governador prestou esta informação à imprensa no final de uma visita de campo ao distrito urbano do Rangel, que visou constatar o estado das ruas da Brigada, do Povo, 8 de Novembro, Ambaca, Vaidade, Ngola Mbandi, Alentejo e Estremadura.

“Com relação à rua da Brigada, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, exarou um decreto que vai permitir uma intervenção tão depressa quanto possível, que é fundamental para a interligação no interior do Rangel”, afirmou o governador.

As vias acima referenciadas beneficiaram de terraplanagem, mas são muito críticas em tempo de chuva. Neste momento é possível a circulação rodoviária e apeada, o que de acordo com moradores é impossível em tempos de chuva.

De acordo com Higino Carneiro, é necessária uma intervenção rápida quanto possível de maneiras a se melhorar a questão da salubridade de alguns bairros para se evitarem algumas doenças.

Para isso, prosseguiu, serão necessários estudos, projectos e a definição da origem de recursos para responder as preocupações dos moradores.

“Em relação à água é um pouco mais difícil dar-se uma resposta positiva àquilo que os munícipes pedem porque temos que esperar que o Centro de Distribuição de Águas do Marçal, que está em reabilitação e ampliação, para depois se fazerem ligações domiciliarias para as residências, que até agora ainda carecem desse serviço”, disse.

Informou tratar-se de um trabalho sob a égide da EPAL, com a qual se está a trabalhar para se definirem prioridades e desta forma se poder dar uma resposta que salvaguarde as reocupações da população. Acrescentou que este caso se aplica igualmente no domínio da energia.

Disse ter em consideração a necessidade de se construírem mais esquadras a nível do Rangel. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA