General Electric lidera joint-venture em África

(Foto: D.R.)

A multinacional está à frente de uma iniciativa de investimentos no continente com o fito de ultrapasssar o défice existente nos sectores-chave das economias.

A General Electric em conjunto com o Mara Group e a Atlas Merchant Capital, está a liderar uma iniciativa para criar uma joint-venture dedicada ao investimento nas infra-estruturas no continente africano, um sector altamente subdesenvolvido.

Com uma previsão de crescimento da população africana para 1,5 mil milhões de pessoas até 2025, o potencial de crescimento económico do continente é significativo. De acordo com o relatório África 2030, há um sentimento de progresso e optimismo generalizado, com mudanças sustentáveis, tornando a África num atractivo centro socioeconómico nos próximos anos. África apresenta elevadas perspectivas de crescimento nos sectores da produção de energia, transporte, petróleo e gás e outras áreas de infra-estruturas, incluindo a exploração mineira.

A joint-venture irá centrar-se neste grande conjunto de áreas, facilitando o acesso ao capital e oferecendo, desta forma, a capacidade para executar e financiar totalmente projectos na fase avançada e na fase inicial de desenvolvimento.

Os obstáculos a ultrapassar são a rápida urbanização e o crescimento da classe média privada de infra-estruturas.

Mais de 50 por cento das nações africanas, incluindo a Nigéria, o Quénia, a Etiópia, a Tanzânia e a RDC, não possuem acesso à electricidade e será necessário um investimento em infra-estruturas no valor de 360 mil milhões de dólares na produção de energia, transmissão de energia, armazenamento de água, caminhos-de-ferro modernos, capacidade portuária e auto-estradas modernas até 2040.

Além disso, a África tem de gastar 90 mil milhões de dólares por ano durante a próxima década só para melhorar e manter a infra-estrutura existente.

Jay Ireland, presidente executivo da GE África, disse que, “esta joint-venture unifica três áreas de negócios com um forte empenho e experiência nas infra-estruturas em África e é a nossa resposta a uma abordagem de infra-estruturas integrada no continente” disse.

O gestor acrescenta ainda que a instituição está orgulhosa de estabelecer uma parceria e beneficiar da experiência e do talento da Atlas Merchant Capital e Mara Group, que possuem uma grande presença em África, para satisfazer as necessidades do continente africano. (jornaldeeconomia)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA