Falso alerta de bomba em Bruxelas

(EURONEWS)

Um indivíduo com alegados problemas psiquiátricos foi detido esta manhã em Bruxelas, na Bélgica, depois de ter dado um falso alerta de bomba. Horas antes, tinha ligado à polícia a indicar que tinha sido sequestrado e que tinha um cinto de explosivos que ia ser rebentado à distância. O cinto tinha sal e biscoitos, de acordo com as autoridades.

Um homem com um cinto de explosivos falso foi detido esta manhã, em Bruxelas, depois de ter dado um falso alerta de ataque, três meses depois dos atentados que atingiram a capital belga.

O Ministério Público de Bruxelas revelou que o cinto de explosivos continha “sal e biscoitos” e que o indivíduo, de 26 anos, “é conhecido da justiça por diversos factos, incluindo por problemas psiquiátricos”.

Pelas 05:30 locais, o suspeito telefonou à polícia e disse ter sido raptado e colocado perto do centro comercial City 2 “com um cinto de explosivos que deveria ser rebentado à distância por outra pessoa”.

O detido já tinha dado nas vistas no passado, quando declarou à polícia “ter sido incitado a juntar-se às fileiras do Estado Islâmico na Síria” e “é actualmente alvo de um inquérito aprofundado para determinar se tem uma ligação ou não com actos de terrorismo”.

O ministro da Justiça, Koen Geens, adiantou que “se pode supor que ele tenha simpatias para com o Estado Islâmico”.

O alerta foi levado muito a sério pelas autoridades porque o centro comercial em causa fazia parte dos locais mencionados nos últimos dias na imprensa belga como um alvo potencial de ataques.

O nível de alerta antiterrorista na Bélgica mantém-se no grau 3, correspondente a “ameaça possível e verosímil”, numa escala cujo limite é o grau 4 que corresponde a uma ameaça “séria e iminente”, indicou o centro de crise belga na sua conta Twitter.

Os ataques no aeroporto e numa estação de metro de Bruxelas, a 22 de Março, causaram 32 mortos e mais de 300 feridos, tendo sido reivindicados pelo autoproclamado Estado Islâmico. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA