EURO-2016: França entre o sonho e o medo

França espera receber 2 milhões de adeptos durante o Euro-2016 (REUTERS/Eric Gaillard)

Esta noite é finalmente dado o pontapé de saída no campeonato Europeu de Futebol, que este ano decorre em França. Pelas 21h00 (hora local), a selecção francesa irá defrontar a congénere romena no Stade de France.

As atenções estarão todas focadas neste evento, numa altura em que o país anfitrião se vê a braços com inúmeros sectores em greve e ainda com o medo de novos atentados em pano de fundo.

Diz o Governo francês que todos os meios serão activados para assegurar que esta noite os adeptos irão chegar ao Stade de France, para o jogo de abertura do Euro-2016 e acrescenta que durante esta sexta-feira o lixo acumulado pela cidade de paris será recolhido.

Alain Vidalies, secretário de Estado dos Transportes, em declarações à rádio Europe 1, garantiu que os adeptos terão à sua disposição transportes que efectuarão a ligação até ao Stade France e relembrou que o Governo tudo fará para que este processo decorra com normalidade.

Os condutores de comboio da linha que serve o estádio; nos arredores norte da capital francesa, anunciaram uma greve massiva para esta sexta-feira.

Por seu lado, Anne Hidalgo, presidente da Câmara de Paris, prometeu a limpeza ainda hoje do lixo espalhado pela cidade devido à greve dos funcionários de recolha do lixo. Todavia, a autarca reconheceu que serão necessários vários dias para o regresso à normalidade. Desde há vários dias que os caixotes do lixo se acumulam nas ruas da cidade, mostrando uma cara pouco resplandecente da cidade-luz.

De sublinha que França vive desde há mais de três meses debaixo de um clima de tensão social, que se prende com a reforma governamental do código do trabalho.

– Medo de novos atentados –

Se a imagem de Paris repleta de lixo não é o mais belo cenário que as autoridades gostariam de ter para receber o Euro-2016, este problema também não é, de todo, a sua maior dor de cabeça. O medo de novos atentados é real, está presente em todos os discursos e, inclusive, o Ministério do Interior lançou uma aplicação “alerta atentado” para Smartphone.

Militares, agentes da polícia e elementos de empresas privadas de segurança, mais de 90 mil, estão mobilizados a nível nacional para impedir qualquer tipo de acção terrorista durante o Europeu. Em Paris, além das forças policiais, 13 mil agentes, foram mobilizados 1200 militares e criados 15 grupos móveis, cada um com 100 efectivos.

Segundo os organizadores do Euro-2016, espera-se a presença em França de cerca de 2 milhões de adeptos estrangeiros para assistirem aos jogos das 24 selecções presentes na competição que, na fase de grupos que hoje arranca, se realiza em dez cidades. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA