Escoceses são, na maioria, contra o “Brexit”

(EURONEWS)

Para a Escócia, este é o segundo referendo em menos de dois anos. Em 2014, os escoceses decidiram permanecer no Reino Unido. Agora, vão decidir sobre a União Europeia e são, na maioria, a favor de ficar. Segundo as sondagens, cerca de dois terços dos escoceses querem continuar na União Europeia.

Entre os partidários da saída, a euronews encontrou Polina, imigrante polaca. Curiosamente, para ela, a proteção das fronteiras é um dos argumentos para defender o “Brexit”: “Não devemos ser forçados a receber pessoas no nosso país. Querem subsídios, querem dinheiro, querem casas. Quem vive no país deve ter a prioridade e não os refugiados. Por isso devemos deixar a União Europeia”.

Adrew, reformado, partidário da permanência, contrapõe: “Somos mais fortes juntos. A Grã-Bretanha já não é uma potência mundial. Somos uma ilha e a nossa economia já não é tão inteligente como antes. Não vejo como vamos poder sobreviver sozinhos”.

“A maioria dos analistas políticos locais diz que a campanha do referendo está a influenciar a agenda política. A primeira-ministra da Escócia diz que, caso o Brexit vença, convoca um novo referendo à independência. Algumas sondagens dizem que o resultado pode ser muito diferente do de há dois anos”, conclui Julián López, enviado especial da euronews a Oban, na Escócia. (EURONEWS)

por Ricardo Figueira | com JULIáN LóPEZ

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA