Direcção da FAF desconhece desistência do Porcelana

(Foto: D.R.)

A Federação Angolana de Futebol (FAF) ainda não recebeu qualquer informação da parte do Porcelana FC, que dê conta da intenção já anunciada acerca da desistência na presente edição do Girabola Zap, de acordo com presidente do Conselho Técnico do órgão, Nando Jordão.Em declarações ontem ao telefone a partir de Lisboa, o dirigente federativo minimizou o facto por ainda não ter nada oficial, aliada à falta de competência da presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, para anunciar a desistência da competição.

“Até ontem, a Federação não tinha recebido nenhuma informação da parte do Porcelana sobre a intenção de desistência do campeonato. Além disso, a Presidente da Mesa da Assembleia Geral não tem autoridade para anunciar essa intenção, compete à direcção do clube.

Seria da competência da Mesa da Assembleia Geral se a intenção fosse deliberada em assembleia, seja ordinária ou extraordinária, o que seria uma decisão soberana, como dizem os estatutos dos clubes de uma forma geral”, disse dirigente federativo.Por este motivo, Nando Jordão  aguarda que a formação do Cuanza Norte formaliza a intenção, de modos a evitar especulações, por haver outros pressupostos que os “porcelanistas” devem cumprir antes de efectivar a desistência.”Vamos esperar que o Porcelana FC formalize a intenção de desistência do campeonato, porque até ao momento não há nenhum documento oficial que chegasse à Federação.

Por conseguinte, devemos esperar para evitar especulações sobre o assunto”, disse o presidente do Conselho Técnico da FAF, e acrescentou que “mesmo se o clube fizer a informação tem ainda um processo de inquérito para averiguar as razões que estão na base disso, que pode durar cinco dias, por causa dos compromissos que eles não podem descartar, por exemplo, o pagamentos de alguns emolumentos”, analisou Nando Jordão.O dirigente disse ainda, que “é preferível que o clube desista depois de terminar a primeira volta, de modos a não causar  embaraços decorrentes da desistência, para que os clubes não percam os pontos conquistados no jogo diante do Porcelana FC”, considerou.

REACÇÃO
“Para nós há diferença entre abandono e desclassificação”

Nando Jordão disse ainda que é preciso estabelecer uma diferença em relação a intenção de desistência do campeonato, se traduz num abandono, ou numa desclassificação.O presidente do Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF) explicou, que “o abandono seria se o Porcelana FC desistisse agora, e uma desclassificação seria se averbassem duas faltas de comparências.

A primeira, era agora no final da primeira volta, 15ª jornada, e a segunda, era no início da segunda volta, 16ª jornada, aí era desclassificado”, disse Nando Jordão que confirmou que ambas dão direito a mesma sanção.”Nos dois casos o clube teria de pagar uma multa de três à cinco milhões dekuanzas, agravados com mais três anos suspensos de toda actividade dos  escalões de seniores”, citou o que dizem os regulamentos da FAF.Sobre a questão da retirada dos pontos das equipas que venceram a formação do Cuanza Norte, o dirigente federativo explicou que “se o clube sair do campeonato na primeira volta, esses pontos não contam, se sair na segunda volta, os pontos da primeira volta contam”, disse o dirigente. (jornaldosdesportos)

DEIXE UMA RESPOSTA