Deputados britânicos unidos na dor e na homenagem a Jo Cox

(EURONEWS)

No Reino Unido, a Câmara dos Comuns reuniu-se em sessão extraordinária para homenagear Jo Cox, a deputada trabalhista assassinada na quinta-feira.

Duas rosas, uma branca e uma vermelha, ocuparam o assento de uma mulher descrita como determinada, pró-europeia, solidária e que acreditava num mundo melhor.

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, adiantou: “A sua comunidade e todo o país têm estado unidos na dor e unidos na rejeição do poço de ódio que a matou, no que cada vez mais parece ter sido um ato de violência política extrema. Com a sua morte trágica, podemos unir-nos para mudar a nossa política, para tolerar um pouco mais e condenar um pouco menos”.

Jo Cox, 41 anos, foi baleada e esfaqueada à saída de um encontro com eleitores em Birstall, no norte de Inglaterra. O alegado homicida, Tommy Mair, 52 anos, era próximo da extrema-esquerda e de grupos neonazis.

Na homenagem solene no Parlamento, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, apelou também à unidade contra o ódio: “Que nós e as gerações de membros desta Casa se juntem para honrar a memória de Jo, para provar que a democracia e a liberdade que ela representava são indestrutíveis, continuando a estar ao lado dos nossos eleitores e unidos contra o ódio que a matou, hoje e para sempre”.

Após a homenagem parlamentar, os membros da Câmara dos Comuns participaram numa cerimónia religiosa na na Igreja St. Margaret, próxima do parlamento. (EURONEWS)

por Patrícia Cardoso | com REUTERS, LUSA, EFE, AFP

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA