Cunene: Insuficiência de produtos químicos condiciona abastecimento regular de água domiciliar

PCA da empresa de Aguas e Saneamento do Cunene (Foto: José Cachiva)

A Insuficiência de produtos químicos para o tratamento de água, está a condicionar o normal abastecimento aos consumidores dos municípios de Ombadja, Cuanhama e Namacunde, na província do Cunene.

Em declaração à Angop, o Presidente do Conselho de Administração da Empresa de Águas e Saneamento, Fernando Cunha, disse que a situação que se regista há mais de três semanas deriva da pouca quantidade de cal e hipoclorito de cálcio, o que provocou a paralisação do sistema de fornecimento.

Fernando Cunha explicou que não se consegue distribuir água potável às comunidades sem que se cumpra com os procedimentos necessários para transformar a água bruta do rio em água potável.

“Não é permitida a saída de água das estações de tratamento com parâmetros fora dos limites recomendados, razão pela qual foi paralisado o sistema de abastecimento e, noutros casos, a redução da hora de fornecimento, “sustentou.

O PCA realçou que existem pequenas reservas estratégicas dentro dos reservatórios aéreos para acudir as unidades hospitalares e escolas.

Entretanto, fez saber que a situação poderá ser ultrapassada oportunamente, uma vez que os produtos foram solicitados a partir de Luanda e, possivelmente, nesta quinta-feira poderão chegar ao Cunene.

De realçar ainda que a empresa controla, na província do Cunene, cinco mil e 460 consumidores, distribuídos nas vilas de Xangongo, Humbe, Môngua, Missão da Môngua, Mbulunganga, Ondjiva, Oihole,Santa-clara, Hungo, Chiedi e Anhanga. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA