Cunene: Enaltecida realização do FESTMUC

Cunene: actividade cultural de mulheres Cuanhamas (Foto: José Cachiva)

Os administradores comunais de Evale, Oshimo e Mongua, do município do Cuanhama, província do Cunene, enalteceram, segunda-feira, na cidade de Ondjiva, a realização da II edição do Festival Municipal da Cultura no Cuanhama (FESTMUC), por ser um meio de resgate dos valores culturais da região.

Em declarações à Angop, à margem do encerramento da II edição do FESTMUC, promovido pela Administração Municipal do Cuanhama, os responsáveis consideraram importante o encontro, por ter servido para divulgação e preservação dos hábitos e costumes do povo Cuanhama.

A administradora da comuna do Evale, Eufémia Hambeleleni, disse que o FESTMUC simboliza o resgate dos hábitos culturais, que nos últimos tempos tendem em desaparecer.

Por esse motivo, acrescentou, a administração local entendeu ser necessário realizar esse festival para despertar o interesse das pessoas para a contínua valorização da identidade cultural dos povos da região.

“É importante divulgar e preservar a cultura do município, porque um povo sem cultura é um povo sem identidade. Daí a preocupação em trabalhar de forma séria para o resgate e preservação destes hábitos e costumes”, frisou.

Já o administrador da comuna de Oshimolo, Ilídio Shiepo, destacou a troca de experiência cultural proporcionada pelo encontro.

Sugeriu a criação de um banco de dados, para catalogar as obras exibidas no encontro por artistas ou grupos culturais, para serem preservadas e dar a conhecer às gerações vindouras.

Por sua vez, o administrador da comuna da Môngua, Nicolau Mwesipewa, sublinhou que o evento serviu para resgatar os valores morais, cívicos e culturais, perdidos ao longo dos tempos, devido o conflito armado.

“Essa actividade vem se juntar às acções que outras instituições da província, em particular, e do país, em geral, têm promovido com objectivo de preservar e fortalecer o acervo cultural da população angolana”, argumentou.

O evento, que durou dois dias, contou com a participação de 15 grupos de dança tradicional, bandas musicais, além artesões, escultores, entre outros artistas das comunas Môngua, Evale, Oshimulo Nehone e Ondjiva. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA