Cuanza Norte: José Eduardo dos Santos é garante de estabilidade na África Austral

Presidente Dos Santos é garante da estabilidade na África Austral (Foto: F. Miudo)

O deputado à Assembleia Nacional, Nuno Albino Carnaval, declarou neste sábado que a dimensão política e estratégica do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, eleva-o para símbolo e garante da estabilidade política não só em Angola como também na África Austral.

Nuno Carnaval fez esta afirmação quando dissertava na vila do Golungo Alto, província do Cuanza Norte, sobre o papel do Estadista Angolano na conquista da paz e na preservação da unidade nacional, durante um acto de exaltação e divulgação dos feitos do Chefe da Nação.

Pelas suas convicções e pela elevada consciência patriótica, perfil de estadista de referência mundial e disponibilidade para a resolução de conflitos, José Eduardo dos Santos manteve sempre uma postura para o diálogo, referiu, lembrando o empenho pessoal do Presidente nas várias negociações que garantiram a paz aos angolanos.

Falar da paz, da unidade e da reconciliação nacional é exaltar o valor do seu patrono, o Presidente José Eduardo dos Santos, assinalou, continuando que Angola e os seus filhos devem exaltar quem faz o bem, quem os defende, quem trouxe a paz e a estabilidade política.

“A figura que exaltamos é do líder da nação angolana, o homem certo para o momento actual, o homem dos nossos tempos, o escolhido da juventude e o eleito das mulheres, avançou, lembrando que com apenas 18 anos de idade Dos Santos ingressou no Movimento de Libertação Nacional onde se destacou como jovem exemplar que mereceu a confiança dos seus superiores.

Para o palestrante, Angola é um país jovem cuja história “enche-nos de orgulho pela coragem e a bravura dos seus melhores filhos que sacrificaram as respectivas famílias derramando o seu sangue para conquistas e vitórias indeléveis”.

Apelou os jovens a primarem pela preservação das conquistas e das vitórias alcançadas porque “a juventude nunca agiu à margem das aspirações do povo, é do povo e trabalha sempre para o povo”.

Disse ainda que a região do Golungo Alto viu nascer nacionalistas e intelectuais que estiveram na génese de muitos movimentos de libertação de Angola, entre eles Mário Pinto de Andrade, Cónego Manuel das Neves, António Jacinto, Lopo do Nascimento e Manuel Pedro Pacavira.

No acto promovido pelo Movimento Nacional Espontâneo (MNE) o orador diferenciou o Golungo Alto da década de 90, período de angústia e de carências, tendo focalizado que a municipalidade é nesta altura uma localidade de paz, crescimento e prosperidade. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA