Crianças de Viana adquirem gosto pelas artes

Crianças formadas pelo Atelier Transomância (Foto: Henri Celso)

Um projecto de educação comunitária, com vista a cultivar o gosto pela arte em crianças e jovens de famílias desfavorecidas, está a ser levado a cabo, no município de Viana, por um grupo de artistas plásticos angolanos.

De acordo com o coordenado do programa, António Gonga, em entrevista a Angop, hoje (quarta-feira), o projecto denominado “Resquícios Dourados” visa ensinar os alunos a reciclarem materiais para transformar em peças artísticas e procurar, através dos seus trabalhos, chamar atenção da comunidade dos riscos do lixo.

De carácter filantrópico, o plano do atelier “Transomância” tornou-se abrangente, no bairro de Bonzela (Viana), e já deu oportunidade a mais de quarenta pessoas, entre jovens e crianças, referiu.

Explicou que apesar destes ganhos, o desígnio, à partida, se debate com a dificuldade de materiais e parceria.

Acrescentou que os novos artistas têm exposto até o dia 16 de Junho no colégio Sagrada Família, que se situa no bairro Bonzela, uma mostra do que produziram durante os quatro meses lectivos no atelier.

Por seu turno, o historiado e professor de artes plásticas Filipe Vidal disse que este projecto não tem apenas o objectivo de captar novos talentos, mas também de elevar a cultura dos munícipes de Viana, de forma a harmonizar as crianças consigo mesmas e com o meio que as circunda.

“Não basta nos preocuparmos com a formação instrutiva de uma criança, porque quando estamos a tratar da instrução ensinamos apenas o saber fazer e o mais importante é o saber ser, de acordo com o projecto Resquícios Dourados”, realçou o historiador.

A outra mais-valia do plano, segundo o historiador, é a concessão de qualidades como a tolerância, paz, amor e o respeito, bem como prevenir que jovens se tornem delinquentes ou que haja gravidez na adolescência. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA