Criada em Addis Ababa a Comissão Africana para o Audiovisual e Cinema (CAAC)

Addis Ababa, capital da Etiópia. (Foto: D.R.)

A Comissão Africana para o Audiovisual e Cinema (CAAC) será responsável pela promoção do rápido desenvolvimento da indústria Africana do audiovisual e do cinema.

Os Ministros da Cultura, Juventude e Desporto dos Estados Membros da União Africana constituíram a muito esperada Comissão Africana para o Audiovisual e Cinema, como agência especializada da União Africana.

A constituição desse órgão – solicitada em 2003 na reunião do Conselho Executivo da UA, realizada em Maputo, Moçambique – é resultado dos esforços concertados do Governo da República do Quénia, a Comissão da União Africana, a Federação Pan-Africana de Cineastas  e os principais países produtores cinematográficos incluindo o Benim, Burkina Faso, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Gana, Mali, Nigéria e Zimbábue, entre outros.

A Comissão Africana para o Audiovisual e Cinema (CAAC) ocupar-se-á da promoção e rápido desenvolvimento da indústria Africana do audiovisual e do cinema, através da  criação de estruturas apropriadas a nível nacional, regional e continental. O reforço da cooperação entre os Estados Africanos na área do audiovisual e do cinema; a promoção da utilização das expressões audiovisuais como factor de desenvolvimento rápido, criação de emprego, integração, solidariedade, respeito por valores e entendimento mútuo de forma a fomentar a paz, uma imagem positiva de África, e a prevenir os conflitos preencherão a agenda deste órgão.

Os estatutos da mais recente agência especializada serão apreciados numa reunião extraordinária do sub-comité de Ministros Africanos da Cultura, no início de Setembro de 2016, antes de serem analisados pelos Ministros dos Assuntos Legais e Justiça, em Outubro de 2016.

Sobre a indústria áudiovisual no continente

A indústria do audiovisual e do cinema é responsável por 5 mil milhões de USD do PIB do continente, empregando cerca de 5 milhões de pessoas. Com o actual incentivo ao seu desenvolvimento, espera-se que esta indústria cresça para mais de 20 milhões de empregos e mais de 20 mil milhões de USD de contribuição anual para o PIB.

A CAAC é parte de um ecossistema de 5 programas que estão a mobilizar 410 milhões de USD em fundos programáticos, para a promoção desta indústria ao longo dos próximos cinco anos. Estes recursos serão angariados a partir do sector público e do sector privado e serão implementados principalmente pelo sector privado. (APO/PortaldeAngola)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA