China não se considera ‘super-potência’

(AFP 2016/ JULIEN WARNAND)

O primeiro-ministro chinês Li Keqiang afirmou que o seu país não é uma “super-potência” e não busca a hegemonia global.

“A China não é uma ‘super-potência’, mas um país em desenvolvimento”, disse o primeiro-ministro chinês ao falar com a edição Asia News Network.

Li Keqiang destacou que a China ainda se encontra atrás de 80 países no que se refere ao PIB per capita.

“A China nunca ocupou a posição de ‘irmão mais velho’. A China segue uma política externa independente, de paz, boa vizinhança, sinceridade e vantagens mútuas. Ao mesmo tempo, a China acredita que todos os países, grandes ou pequenos, são iguais”, afirmou o primeiro-ministro.

Depois, o chefe do governo referiu-se ao assunto da disputa do mar do Sul da China. Segundo ele, Pequim tem mostrado uma abordagem construtiva nesta questão.

Vários países, incluindo a China, o Japão, o Vietname e as Filipinas, estão em desacordo sobre as fronteiras marítimas e zonas de influência no mar do Sul da China e no mar da China Oriental. A China acredita que alguns, como as Filipinas e o Vietname, aproveitando o apoio dos EUA, escalam a tensão na região. Em Janeiro de 2013, as Filipinas contestaram unilateralmente as reclamações da China em relação a uma série de territórios no mar da China do Sul no Tribunal Internacional do Direito do Mar, mas Pequim se recusou oficialmente a abordar essas questões no âmbito jurídico internacional. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA