Biocom lança safra 2016/17

(Foto: Quintiliano dos Santos)

A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom) iniciou, sexta-feira, 17, a safra 2016/17, com a participação de mais de 2 mil trabalhadores na colheita e processamento de 531 mil toneladas de cana-de-açúcar para a produção de açúcar, etanol e co-geração de energia eléctrica.

Segundo uma nota de imprensa a que o NJ teve acesso, para presti- giar o lançamento da safra estarão presentes o governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, o director geral da Biocom, Carlos Henrique Mathias, e o seu adjunto, Luís Bagorro Júnior.

Na safra 2016/2017, a Biocom produzirá 47 mil toneladas de açúcar, 16 mil metros cúbicos de etanol e 155.000 megawatts de energia eléctrica. O açúcar produzido pela Biocom terá como destino o mercado interno. Já a energia eléctrica será comercializada junto à RNT (Empresa Nacional de Energia de Angola).

Por sua vez, o etanol hidratado atender à demanda da indústria nacional de produtos de limpeza e de bebidas espirituosas. A maioria dos trabalhadores que participará na safra é nacional, com 2.125 efectivos e 196 expatriados, representando estes menos de 10 % da força produtiva.

A Biocom representa o maior investimento privado de Angola, fora do sector petrolífero, e um importante activo de desenvolvimento nacional. O processo industrial e agrícola da empresa utiliza de tecnologia altamente moderna e de ponta.

Para Luís Bagorro Júnior, o sucesso da Biocom tem sido considerado exemplo no processo de diversificação da economia angolana.

“Vivemos um momento de cele- bração pelo sucesso de investimen- tos privados que estão a fazer o país crescer em todas as províncias. Sentimos orgulho ao fazer parte deste desenvolvimento, com a pro- dução e comercialização do açúcar Kapanda, além do etanol e electri- cidade”, salientou o director geral adjunto da Biocom.

Localizada no PAC – Polo Agro-Industrial de Capanda – em Malanje, no município de Cacuso, a Biocom ocupa uma área total de 81.201 hectares. Desse total, 70.106 são agricultáveis e 11.095 são reservados à preservação per- manente da fauna e flora local.

As actividades da Biocom englobam duas áreas de actuação, nomeadamente a agrícola e a indústria.

As tarefas na área agrícola funcionam durante todo o ano e incluem os trabalhos de preparo de solo, plantio/replantio, tratos culturais e colheita da cana de açúcar. Em 2016, esta última será realizada entre os meses de Junho a Outubro.

Já a actividade industrial, funciona em tempo integral durante todo o período de colheita, produzindo açúcar, etanol e energia. Em 2016, essa etapa ocorrerá entre Junho e Outubro.

Na anterior safra (2015/16), a empresa produziu 24.770 toneladas de açúcar; 10.243 metros cúbicos de etanol e gerou 42.000 Mwh (megawatts) de energia eléctrica. Na nova safra(2016/17), iremos produzir 47 mil toneladas de açúcar, 16 mil metros cúbicos de etanol e garantir a co-geração de 155 mil megawatts de energia.

Já na safra 2020/2021, quando atingiremos a capacidade máxima de produção da primeira fase, serão produzidos 256 mil toneladas de açúcar, 235 mil megawatts de energia eléctrica e 33 mil metros cúbicos de etanol. (novojornal)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA