Benguela: Peripneumonia compromete segurança alimentar na SADC

Arquivo: Fernando Assis, Director provincial da agricultura e desenvolvimento Rural em Benguela (Foto: Cortesia de Honório Segunda)

A peripneumonia contagiosa bovina é a doença do gado que mais compromete a segurança alimentar em África, mais concretamente na região Austral, afirmou quinta-feira o director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural em Benguela, Fernando de Assis.

O responsável que falava na sessão de encerramento no encontro da rede regional de estratégia de harmonização regional para a erradicação da peripneumonia contagiosa bovina, que decorreu de 14 a 16 de Junho em Benguela, sublinhou que a peripneumonia compromete a segurança alimentar através da redução da produção de carne e leite.

Além disso, acrescentou o engenheiro agrónomo, a insuficiência alimentar provocada pela doença da peripneumonia também é provocada pela redução da preparação e fertilização de terras agricultáveis, da transportação de mercadorias e bens e o aumento dos custos de produção, devido aos gastos com medicamentos, vacinas, material de uso veterinário entre outros utilizados no controle da doença.

Realçou, como outras consequências, a interdição do comércio de gado e seus produtos a nível nacional e internacional, a redução do desenvolvimento sustentável da produção animal, o que tem serias implicações na preservação das raças autóctones e o bem-estar animal, o que contribui para o aumento da fome e da pobreza no meio rural.

A peripneumonia, segundo o director da agricultar de Benguela, é uma das principais causas de baixas da pecuária nacional e que deverá ser discutido e aprovada pelos respectivos serviços de veterinária dos países envolvidos.

Por outro lado, o director espera que os resultados alcançados neste encontro sirvam de base para que os países directamente envolvidos nesta problemática possam desenvolver esforços conjuntos no sentido de erradicar esta doença na região da sadc.

Participaram no encontro peritos em veterinária da região da SADC que debateram durante três dias sobre de harmonização das estratégias oficiais de prevenção, controlo e erradicação da peripneumonia contagiosa dos bovinos em Angola, Botswana, Namíbia, Zâmbia, o guião para desenvolver a estratégia regional

Assistiram o acto de encerramento, a coordenadora da rede regional de erradicação da peripneumonia contagiosa bovina ao nível da SADC, Chandapiwa Raborokgwe, o director geral adjunto do instituo de investigação veterinária do ministério da Agricultura de Angola, representantes dos serviços de veterinária de Angola, Botswana, Namíbia e Zâmbia. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA