Banca britânica perde quase 50 mil milhões. BOE faz injecção de liquidez

(Bloomberg)

O resultado do referendo está a afundar as acções do sector financeiro britânico. Quedas de dois dígitos que estão a arrasar o valor de mercado da banca, levando o Banco de Inglaterra a anunciar uma injecção de liquidez extraordinária de 250 mil milhões de libras.

Há uma verdadeira razia nos títulos do sector financeiro europeu após a decisão dos britânicos de saírem da União Europeia. A banca da região afunda, com os bancos do Reino Unido a registarem perdas de dois dígitos. Uma desvalorização abrupta que já retirou quase 50 mil milhões de euros ao valor de mercado das instituições. O Banco de Inglaterra vai injectar de emergência, 250 mil milhões de libras no sector.

Numa sessão em que o Stoxx Banks, que agrega os maiores bancos da Europa, está a perder 11,88%, o Barclays está a afundar 17,04%, o Lloyds cai 18,06% e o Royal Bank of Scotland recua 16,81%. O HSBC está a perder 3,61% enquanto o Standard Chartered desliza 5,69%. Fortes desvalorizações à conta das implicações que o “Leave” tem para o Reino Unido. O Brexit ganhou no referendo.

Estas quedas avultadas estão a fazer mossa no valor dos bancos, assistindo-se a grandes perdas no valor para os accionistas. O saldo está negativo em 40 mil milhões de libras, o equivalente a 49,6 mil milhões de euros, isto considerando a actual taxa de câmbio: 1,24 euros por libra. A moeda britânica está a cair 5% face ao euro, recuando quase o dobro contra o dólar, recuando para mínimos 31 anos.

Há um colapso no valor dos bancos. Uma situação preocupante para a qual Mark Carney, o governador do Banco de Inglaterra, diz estar preparado. “Estabelecemos planos de contingência”, disse, revelando que foi feita de imediato, e de forma extraordinária, uma injecção de liquidez no sistema financeiro no valor de 250 mil milhões de libras (309 mil milhões de euros).

Carney deixou a garantia de que “o BOE não hesitará em tomar novas medidas se for necessário”. O BOE é “capaz de fornecer mais liquidez” ao sistema, se assim for necessário, e vinca a segurança do sistema bancário britânico: “testamos os rácios de capital dos bancos em cenários bem mais severos do que aqueles que o nosso país enfrenta actualmente”. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA