Balança comercial angolana apresenta saldo positivo em 2015

PORTO DE LUANDA, principal porta de entrada e saída de mercadorias (Foto: Pedro Parente)

A balança comercial de Angola registou, em 2015, um saldo positivo de 1,943 triliões de kwanzas (1 USD equivale 166,710 kwanzas), com as exportações a atingirem 3,932 triliões de kwanzas e as importações 1,989 triliões, de acordo com dados do Anuário do Comércio Externo do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o mesmo documento, publicado pelo jornal de Angola na sua edição de hoje, em 2015, as exportações caíram 31,75 porcento e as importações 29,41 porcento, o que demonstra que o saldo da balança comercial de 2015 foi em 33,99 porcento superior ao de 2014.

Em 2014, as exportações angolanas foram de 5,761 triliões de kwanzas e a importações de 2,818 triliões, o que resultou num saldo de 2,942 triliões, de acordo com os dados do INE.

O documento afirma que a maior parte das exportações partiu do Soyo (2,929 triliões de kwanzas), Cabinda (816.716 milhões de kwanzas) e Luanda (185.625 milhões de kwanzas), enquanto as importações passaram mais por Luanda (1,523 triliões de kwanzas), Cabinda (260.446 milhões de kwanzas), Lobito (125.822 milhões de kwanzas) e Namibe (80.305 milhões de kwanzas).

No período em referência (2015), Angola exportou 3,806 triliões de kwanzas em combustíveis, 5.788 milhões de kwanzas em produtos agrícola (96,79 porcento do total), 1.246 milhões de kwanzas em madeira e cortiça (0,15 porcento), 1.059 milhões de kwanzas em minerais e minérios (0,03 porcento) e 118.221 milhões de kwanzas em “outros produtos” (3,01 por cento).

As vendas angolanas ao estrangeiro incluíam peixes e crustáceos, moluscos e outros invertebrados aquáticos, café, chá, malte e especiarias, minérios, escórias e cinzas, combustíveis minerais, óleos minerais e destilados, madeira, carvão vegetal e obras de madeira, pérolas naturais ou cultivadas e pedras preciosas.

As importações incidiram sobre as máquinas, equipamentos e aparelhos em 27,81 porcento, metais comuns 12,79 porcento, produtos agrícolas com 10,16 porcento, veículos e outros meios de transporte com 6,47 porcento, químicos com 6,44 por cento e bens alimentares” com 6,11 porcento.

As compras ao estrangeiro incluem uma lista mais vasta entre a que se contam animais vivos, carnes e miudezas comestíveis, peixes, crustáceos, moluscos e invertebrados aquáticos, leite e lacticínios, ovos de aves, mel natural, produtos comestíveis de origem animal, plantas vivas e produtos de floricultura, hortofrutícolas e outros.

Os principais parceiros das exportações de Angola durante o ano de 2015 foram a China com 43,37 porcento do total, Índia com 8,02 porcento, Espanha com 6,72 porcento e França com 4,75 porcento.

Os principais parceiros das importações de Angola foram a China com 16,93 porcento do total comprado no estrangeiro, Portugal com 14,79 porcento, República da Coreia (Coreia do Sul) com 7,76 porcento e Estados Unidos com 7,48 porcento, apontam os números do Anuário do Comércio Externo do ano passado. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA