Angola desempenha papel imprescindível nos processos de estabilidade

Director nacional de Relações Internacionais do Ministério da Defesa, general Luís Higino de Sousa "Zé Grande" (Foto: Alberto Julião)

A República de Angola tem desempenhado um papel imprescindível na ajuda dos processos de pacificação e estabilidade em muitos países africanos, tendo em conta o respeito pelos instrumentos internacionais de que o país é parte.

A consideração é do director nacional de Relações Internacionais do Ministério da Defesa, general Luís Higino de Sousa “Zé Grande”, que discursou hoje, sexta-feira, durante o encerramento da V reunião metodológica dos adidos de Defesa junto das Missões Diplomáticas.

Na sua alocução, frisou que a política externa do país tem por base os princípios consignados na Constituição da República, respeitando, de igual modo, os princípios da Carta das Nações Unidas.

Neste contexto, frisou que a diplomacia militar tem jogado um papel preponderante, daí que esta reunião constituiu uma oportunidade para adestrar os métodos de organização e funcionamento das Chancelarias de Defesa.

Por outro lado, realçou que o fenómeno da globalização, entendida como a transformação do mundo relativamente às interações políticas, económicas e culturais, impõe uma nova mentalidade no que concerne á política externa.

“Assim sendo, devemos encarar a diplomacia militar de forma mais séria, pois a sua plena materialização exige o aperfeiçoamento dos conhecimentos, novas estratégias e reflexões constantes”, disse.

Participaram na reunião, 25 adidos de Defesa, sendo 24 já acreditados nos respectivos países, dos quatro continentes, e um por acreditar. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA