Activistas detidos e protestos inviabilizados em Luanda

Activistas presos no Largo Primeiro de Maio (VOA)

Assinala-se hoje um ano da prisão dos activistas.

No dia em que se assinala o primeiro aniversário da prisão dos activistas condenados pelos crimes de rebelião, tentativa de golpe de Estado e associação de malfeitores, as manifestações previstas para se realizarem em Luanda não aconteceram.

A VOA sabe que alguns dos organizadores dos protestos marcados para ontem e hoje foram detidos, mas não há qualquer confirmação da polícia.

Nesta segunda-feira, 20, dia em que se assinala o aniversário, os activistas Emiliano Catombela, Adão Bunga, António Kissanda e outros companheiros foram detidos pela Policia Nacional nas imediações do Largo Primeiro de Maio, como disse à VOA uma fonte próxima.

Apesar dos esforços não foi possível falar com António Maria Sita, Comandante Provincial da Polícia em Luanda, ou Ambrosio de Lemos, comandante geral da corporação.

Noutro desenvolvimento, Luís do Nascimento, membro da equipa de advogados dos 17 activistas, revelou que finalmente o processo do pedido de habeas corpus, que alegadamente estava desaparecido, encontra-se no Tribunal Supremo.

O causídico afirma estar confiante na soltura dos 17 activistas.

Recorde-se que há manifestações marcadas para hoje para Lisboa e Bruxelas e na terça-feira, será a vez de Pretória, e Paris lembrarem o primeiro aniversário da prisão dos activistas que, em Março passado, foram condenados a penas de prisão pelos crimes de rebelião, tentativa de golpe de Estado e associação de malfeitores. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA