Abertura dos mercados: Investidores de olhos postos no Reino Unido

(Bloomberg)

Esta quinta-feira realiza-se o referendo britânico à permanência do país na União Europeia. E este é o tema que está a dominar a atenção dos investidores. As bolsas europeias sobem, a libra valoriza e petróleo soma.

Os mercados em números

PSI-20 soma 0,59% para 4.648,22 pontos

Stoxx 600 valoriza 0,44% para 342,83 pontos

Nikkei subiu 1,07% para 16.238,35 pontos

Juros da dívida a 10 anos descem 2,2 pontos base para 3,126%

Euro avança 0,38% para 1,1339 dólares

Petróleo em Londres soma 0,68% para 50,22 dólares por barril

Bolsas europeias em alta há cinco sessões
As bolsas europeias estão esta quinta-feira, 23 de Junho, a subir. Esta é a quinta sessão de ganhos das praças europeias. Os britânicos vão hoje às urnas para decidirem se querem manter-se, ou não, na União Europeia. As urnas abriram às 7:00 e encerram às 22:00. Os resultados a este referendo só vão ser conhecidos esta sexta-feira. Este é o tema que está a captar a atenção dos investidores.

O Stoxx 600 soma 0,59%. A praça holandesa lidera os ganhos no Velho Continente, subindo 0,91%, seguido do francês CAC 40. O britânico Footsie soma 0,61%. O PSI-20 avança 0,59%, impulsionado nomeadamente pelos ganhos da Jerónimo Martins.

Juros em queda

Os juros da dívida pública portuguesa no mercado secundário estão a cair em todos os prazos. A dez anos, a maturidade considerada de referência, as “yields” estão a descer 2,2 pontos base para 3,126%. No caso da dívida germânica com a mesma maturidade, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si cedem 1,4 pontos base para 0,047%. O prémio de risco da dívida portuguesa está nos 304,5 pontos. Esta evolução tem lugar num dia em que os investidores estão de olhos postos no referendo britânico à permanência do país na União

Europeia.

Libra no nível mais forte do ano

A moeda britânica subiu para o nível mais forte do ano, num dia em que os eleitores britânicos vão decidir se o país vai manter-se, ou não, na União Europeia. As últimas sondagens apontam para resultados muito próximos entre os partidários da saída e os apoiantes da permanência. Por isso, é muito difícil antecipar qual o desfecho do escrutínio. Ainda assim, os investidores, nos últimos dias, têm mostrado confiança que o Reino Unido vai optar por ficar dentro do projecto europeu. A libra valorizou já esta quinta-feira, 23 de Junho, face às 16 congéneres. Por esta altura, face ao euro, a libra avança 0,02% para 1,3021 euros. Em relação ao dólar, a moeda britânica cresce 0,27% para 1,4747 dólares.

Queda das reservas dá ganhos ao petróleo

A cotação do petróleo está a subir nos mercados internacionais. Este comportamento tem lugar depois de ter sido revelado que as reservas petrolíferas nos Estados Unidos registaram uma descida inferior ao antecipado pelo mercado. O “stock” caiu em 917 mil barris na semana terminada a 17 de Junho, o que compara com a estimativa de 1,5 milhões de barris dos analistas sondados pela Bloomberg. Além disso, este comportamento da matéria-prima tem lugar numa altura em que as urnas já abriram no Reino Unido para que os britânicos decidam se querem ficar, ou não, na União Europeia. Um escrutínio que está a captar a atenção dos investidores.

O West Texas Intermediate soma 0,57% para 49,41 dólares por barril. O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, avança 0,68% para 50,22 dólares por barril.

Especulação que britânicos mantêm-se na UE penaliza ouro

O mercado tem especulado que no referendo que se realiza hoje à permanência do Reino Unido no bloco europeu os britânicos vão apoiar a permanência. Esse eventual cenário tem estado a penalizar a cotação do ouro – activo considerado de refúgio – uma vez que diminui o apetite dos investidores por esta classe de activos. Ainda assim, por esta altura, o ouro, para entrega imediata, soma0,09% para 1.267,41 dólares por onça.

Destaques do dia

Brexit ou Remain. Até ao último voto, ao último minuto? Londres não foi Atenas. Mas, na dúvida, muitos fizeram fila para vender libras. Britânicos e demais europeus ainda às escuras sobre qual será o resultado mais provável neste referendo.

Brexit? Portugueses devem pedir residência permanente. Em caso de vitória do Brexit não se sabe ao certo que regras vai o Reino Unido estabelecer e quanto tempo demorará a mudança. Deverá demorar pelo menos dois anos, segundo as condições do Tratado de Lisboa para a saída de um país.

Swati Dhingra: “À Europa não interessa um bom acordo com o Reino Unido em caso de Brexit”. A economia britânica poderá descer entre 1,4% e 2,6% em cenário de saída. E não terá vida facilitada a negociar um acordo com a União Europeia, diz em entrevista ao Negócios a professora da LSE.

João Ferreira do Amaral: “Angola é muito mais importante que o Brexit para as exportações”. Uma eventual saída do Reino Unido teria consequências limitadas, mesmo em Portugal. O grande inconveniente seria dar ainda mais força à Alemanha. Independentemente do resultado, o referendo vem lembrar a necessidade de pôr freio ao centralismo na UE.

BES vendeu dívida PT/Oi em pacote e espalhou risco. O BES colocou obrigações da PT em produtos financeiros complexos, de risco máximo, e vendeu através dos seus canais de retalho, amplificando assim a exposição ao colapso da Oi, que se encontra em recuperação judicial. Onda de lesados da PT/Oi está a crescer.

Oi pode atirar Pharol para novos mínimos na bolsa. A Pharol perdeu um quarto do seu valor numa sessão. Títulos chegaram a cotar em 7,5 cêntimos. E podem valer ainda menos.

O que vai acontecer hoje

Reino Unido

Referendo sobre a permanência na União Europeia

EUA

BlackBerry apresenta resultados trimestrais

Divulgação dos dados dos pedidos de subsídio de desemprego, na semana passada

Publicação dos indicadores económicos avançados, referentes a Maio

Dados sobre a compra de casas novas, em Maio

Zona Euro

Divulgação do índice Markit da indústria, em Junho

Publicação do índice Markit dos serviços, em Junho. (Jornal de Noticias)

por Ana Laranjeiro

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA